Mais Lidas

Dinheiro

Lucro líquido do BRB cresce 35,2% e chega a R$608 milhões em 2021

Resultado reflete a estratégia de expansão do BRB por todo o País

acessibilidade:
Paulo Henrique Costa, presidente do BRB, o Banco de Brasília - Foto: Lúcio Bernardo Jr./Agência Brasília.

O Banco de Brasília (BRB) fechou 2021 com lucro líquido de R$ 608 milhões, o que representa crescimento de 35,2% na comparação com 2020. É o maior resultado da história do Banco. No segundo semestre, o lucro alcançado foi de R$ 366 milhões, aumento de 46,4% em relação ao mesmo período de 2020.

O resultado reflete a estratégia de expansão do BRB por todo o território nacional, com aumento da oferta de produtos e serviços e diversificação da base de clientes. O retorno anualizado sobre o patrimônio líquido médio foi de 26,5%, acima da média do mercado. As receitas com prestação de serviços aumentaram 15%.

Segundo o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa, “os números obtidos em 2021 foram recordes e refletem a estratégia de diversificação das linhas de resultado, ampliação da base de clientes e expansão das atividades em nível nacional”.

“Mesmo em um contexto adverso, marcado pelo agravamento da pandemia da Covid19, o BRB seguiu atuando na linha de frente na execução de políticas públicas e concessão de crédito àqueles que mais precisavam”, afirma.

Em dezembro de 2018, o BRB possuía 639 mil clientes. O Banco fechou 2021 com 3,5 milhões e, em fevereiro deste ano, rompeu a marca dos 4 milhões de clientes. O número considera pessoas físicas e jurídicas e clientes do Nação BRB FLA, banco digital lançado em parceria com o Flamengo e que, com pouco mais de 18 meses de vida, já se posiciona como moderno, completo e inovador. Atualmente, o BRB possui clientes em mais de 5.000 municípios brasileiros, o que corresponde a 91% do território nacional, todos os continentes e 39 países.

A carteira de crédito ampla chegou a R$ 21,8 bilhões no quarto trimestre de 2021, o que representa aumento de 34,4% na comparação com o mesmo período de 2020. Em relação ao 3T21, o crescimento registrado foi de 5,2%. O principal destaque foi o crédito imobiliário, cujo saldo alcançou R$ 4,5 bilhões, crescimento de 81,9% em 12 meses. Esse desempenho garantiu ao BRB, pelo segundo ano consecutivo, a liderança no segmento no Distrito Federal e a sexta posição geral no País.

Também merece destaque o crédito rural, cuja carteira ampla cresceu 23,0% no 4T21 frente ao 4T20, atingido saldo de R$ 541 milhões. Principal carteira de crédito do BRB, o consignado cresceu 22,5% no 4T21 na comparação com o 4T20. No ano de 2021, a contratação de crédito consignado alcançou R$ 10,1 bilhões.
As receitas de prestação de serviços e tarifas aumentaram 15% no ano de 2021, refletindo o crescimento da base de clientes e a ampliação de linhas de negócios, com destaque para os cartões de crédito, a corretagem de seguros e a gestão de recursos de terceiros, que começam a refletir as parcerias estratégicas realizadas com Wiz e Genial Investimentos, respectivamente, nas últimas duas linhas de negócios.

O Banco encerrou dezembro de 2021 com um índice de Basileia de 15,9%, aumento de 1,3 p.p. em relação ao final de 2020 e suficiente para sustentar a estratégia de crescimento e expansão do BRB nos próximos anos.
Finalmente, um importante destaque foi o início da operação do BRB no estado da Bahia como agente financeiro exclusivo para a gestão dos depósitos judiciais do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA), o que permitiu a expansão da rede de atendimento própria e terceirizada em mais de 586 pontos de atendimento até o momento e que possibilitará ao BRB oferecer um portfolio completo de produtos e serviços aos clientes daquele estado.

Reportar Erro