Distrito Federal

DF: Membros dos Conselhos Comunitários de Segurança passam por capacitação

Atualização dos processos e sistemas promovem mais rapidez na solução de demandas da comunidade

acessibilidade:
Encontros como o realizado quarta e quinta-feiras servem para alinhar ideias e implementar ações de Segurança Pública | Foto: Divulgação/ SSP-DF

A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP-DF) realizou nestas quarta (3) e quinta-feira (4) mais uma capacitação com representantes dos Conselhos Comunitários de Segurança (Consegs). O objetivo é atualizar os processos de recebimento das demandas e alinhamento sobre procedimentos.

Entre os temas abordados, foram apresentados o sistema de demandas e devolutivas que se encontra em desenvolvimento na Subsecretaria de Modernização Tecnológica da SSP e a apresentação do processo de implementação das demandas por meio eletrônico.

Esses encontros são importantes para promover alinhamento e implantação de novas técnicas para que tornem mais céleres os processos de recebimento de demandas e soluções com órgãos responsáveis. Na prática, a comunidade contribui com críticas, sugestões e observações de situações que envolvem a segurança pública direta ou indiretamente.

“Os Consegs conseguem chegar aonde não estamos. É uma atuação conjunta, uma parceria com a sociedade civil que tem se mostrado essencial para o combate ao crime e soluções viáveis às demandas diárias das regiões administrativas de todo o DF”, frisou o Secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Sandro Avelar.

As demandas apresentadas durante as reuniões serão levadas aos órgãos de segurança pública, como os batalhões e as delegacias de área e a própria secretaria. Os conselhos ainda articulam melhorias para as regiões junto a outros órgãos, entre eles, as administrações regionais e aqueles ligados à infraestrutura e a ações sociais, por exemplo.

“Com o alinhamento dos procedimentos, com sugestões e participação de todos, foi possível criar um passo a passo assertivo, um padrão que permita que o tempo entre o recebimento da demanda e a devolutiva à comunidade seja o menor possível. Até agora já somamos 855 processos criados desde o início do ano em processamento e tratativas de soluções”, contabilizou o coronel Paulo André Monteiro, chefe da Unidade Gestora dos Conselhos Comunitários de Segurança.

Paulo André lembrou que todas essas novidades são implantadas conforme demanda e fazem parte de uma evolução mútua da equipe dos Consegs e dos servidores da pasta. “Consequentemente, a sociedade desenvolve um senso cada vez maior de confiança e muitas vezes passa a participar da equipe. Os Consegs são o espelho da realidade de que a segurança pública não é mantida somente pelo poder público, mas, sim, por toda a comunidade”, frisou.

Para os membros dos conselhos alguns desafios precisam de maior atenção. “Vamos alinhando conforme as situações vão surgindo. Os desafios positivos dizem respeito à disseminação do conhecimento do Conseg entre a comunidade. E temos conseguido fazer isso em Águas Claras”, comentou Hoto Barros, presidente do Conseg de Águas Claras.

“É um desafio por dia. Eu estou disponível 24 horas. Mas só me sinto realmente útil quando consigo resolver o problema daquela comunidade, daquela pessoa que me pede ajuda. Dependemos dos órgãos, das instituições, para ouvir nossa demanda, nos ajuda a entregar a devolutiva daquela solicitação”, afirmou Lúcia Murta, presidente do Conseg de Samambaia.

 

*Com informações da SSP