Mais Lidas

DF se despede de Roriz

Despedida do ex-governador do DF Joaquim Roriz reúne milhares de pessoas

Segundo a Polícia Militar mais 2 mil pessoas estiveram no Memorial JK onde o corpo foi velado

acessibilidade:
O estado de saúde de Roriz  vinha se agravando no decorrer dos anos Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom

Milhares de pessoas participaram da despedida do ex-governador Joaquim Roriz, segundo a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) mais de 2 mil pessoas estiveram no Memorial JK para se despedir do ex-governador Joaquim Roriz.

O velório do político teve início na quinta-feira (27) e seguiu até está manhã, quando o corpo foi levado em carro aberto do Corpo de Bombeiros, passando pela Esplanada dos Ministérios e tendo como destino final o cemitério Campo da Esperança.

Após sofrer um infarto agudo do miocárdio e duas paradas cardíacas e respiratórias na quarta (26), Roriz começou a respirar com ajuda de aparelhos. Na manhã de quinta (27) sofreu um choque séptico e não resistiu.

O ex-governador estava  internado desde 24 de agosto para tratar de uma pneumonia, neste mês tinha sido submetido a uma traqueostomia.

O estado de saúde de Roriz  vinha se agravando no decorrer dos anos, em agosto do ano passado, o ex-governador teve complicações devido ao diabetes, e para evitar necrose, foi submetido a cirurgias, primeiro para amputar dois dedos do pé, e devido ao agravamento da doença, a perna direita também teve que ser amputada, na altura do joelho.

A saúde mental de Joaquim Roriz, também está debilitada, decorrente do Alzheimer, a doença foi confirmada em fevereiro, após exame que apontou um quadro de demência vascular.

Trajetória Política

Sua trajetória começou nos anos 1970 como vereador de Luziânia (GO), onde nasceu. Em 1978 foi o deputado federal mais votado do MDB de Goiás, e em 1980 fundaria o Partido dos Trabalhadores em Luziânia. Depois foi eleito deputado federal em 1982, mas pelo PMDB.

Joaquim Roriz começou sua saga política no Distrito Federal em 1988, quando governou até 1990. Depois disso, Roriz volta ao GDF nos anos de 1991, 1999 e 2003, quando permaneceu no comando do DF até 2006.

Eleito senador em 2006, Roriz renunciou ao cargo cinco meses para escapar de um processo de cassação relacionado ao caso da ‘Bezerra de ouro’. Joaquim Roriz  foi apontado como beneficiário de cheques do fundador da GOL, Nenê Constantino, no valor de R$ 2,2 milhões, descontados no BRB.

A sua despedida da vida pública ocorreu em 2010, depois que candidatura ao GDF  foi impugnada com base na lei Ficha Limpa.