Mais Lidas

Revolução na Saúde

DF adota Saúde da Família, e agora consultas médicas terão hora marcada

Iniciativa é a mais importante e estruturante, diz secretário

acessibilidade:

A Secretaria de Saúde aprovou duas portarias de reforma da atenção primária, que passará a ser exclusivamente baseada na Estratégia Saúde da Família. “Foi um momento histórico e emocionante”, comentou o secretário Humberto Fonseca.

A primeira portaria estabelece a nova política de atenção primária. Desaparece o ultrapassado e ineficiente modelo tradicional, hoje majoritário no DF, em que as pessoas amanhecem nas filas para conseguir uma consulta e que, em geral, não tem resolutividade.

Com o novo modelo, as consultas serão com hora marcada e metade dos atendimentos serão por demanda espontânea. Isso vai desafogar os setores de emergência das unidades de saúde e os hospitais vão poder se dedicar à sua verdadeira vocação, que é atender aos casos graves e de alta complexidade. Além disso, a secretaria de Saúde promete monitorar indicadores de qualidade, mencionados no próprio texto da portaria.

Já a segunda portaria prevê um regime de transição, com capacitação para as equipes. A intenção é chegar ao modelo definitivo no prazo de um ano. São quase 400 médicos na Atenção Primária, fora da Estratégia, além de outros profissionais, que têm baixa produtividade e trabalham com pouca efetividade. Com o novo sistema, quem estiver sem produzir ou em excesso, vai para outros lugares.

Para o Humberto Fonseca, essa iniciativa é a mais importante e estruturante dessa gestão. “Deixa um legado para a cidade". Os especialistas em saúde pública esperam a oposição de sindicalistas e de outros setores cujos interesses serão contrariados. Há previsão, inclusive, de aumento do número de atestados para justificar ausências ao trabalho, numa espécie de boicote remunerado.

As portarias já foram assinadas e encaminhadas ao Diário Oficial do DF e devem ser publicadas na segunda-feira (13).

Reportar Erro