Mais Lidas

Saúde na UTI

Deputado reafirma denúncia de pacientes de câncer morrendo à míngua

Doentes de câncer são vítimas da precariedade no atendimento

acessibilidade:

O deputado Pastor João Luiz (DEM) reafirmou nesta quarta-feira (14) suas duras críticas à precariedade no atendimento a pacientes com câncer, no Estado, denunciando que alguns médicos oncologistas estariam mandando os pacientes morrer em casa. Ele também revelou que há médicos preferindo o tratamento quimioterápico ao cirúrgico, em razão do valor defasado na tabela do SUS.

João Luiz voltou ao assunto para rebater declarações do presidente do Sindicato dos Médicos, Wellington Galvão, contestou suas denúncias. “Enquanto o presidente do sindicato ocupa a imprensa para dizer que não há problemas, a secretária Estadual de Saúde, Rozangela Wyszomirska, é transparente e diz: há problemas e estamos tentando resolver”, atacou o Pasto João Luiz.

 “Há problemas com o preço do tratamento de Saúde? Há sim. Quem tiver dinheiro tem vaga no hospital, no momento que quiser. Quem não tem, vai esperar”, diz o deputado, destacando que a secretária de Saúde reconhece a falta de acesso para o tratamento do câncer e declara que está sendo elaborado um plano estadual de oncologia.

O deputado chamou atenção para reportagem recente em que o defensor público Ricardo Mélro afirma que “sem acesso à hospital em Alagoas, doentes de câncer morrem em casa”.

“Seres humanos estão morrendo em casa sem atendimento hospitalar. A situação é dramática e mais do que isso, é desumana. A Defensoria Pública do Estado comprova o que disse aqui”, argumentou o Pastor João Luiz.

Em aparte, os deputados Léo Loureiro (PPL) e Rodrigo Cunha (PSDB) corroboraram com o pronunciamento de João Luiz.