Fraudadores hackers

Operação combate fraudes ao Auxílio-Reclusão, após prisões no DF

R$ 165 mil em benefício previdenciário seriam sacados, com indícios de ação de hackers para obter valores retroativos

acessibilidade:
(Foto: Divulgação PF)

Cinco meses após a Força-Tarefa Previdenciária realizar prisões em flagrante por tentativa de saque de R$ 165 mil em Auxílio-Reclusão, a Polícia Federal voltou às ruas do Distrito Federal, na manhã desta quinta-feira (28), para cumprir três mandados de busca e apreensão de provas para investigar um esquema de reativação fraudulenta do benefício previdenciário.

Os mandados expedidos pela 12ª Vara Federal Criminal do Distrito Federal resultam da prisão de duas pessoas suspeitas do saque ilegal em 25 de abril de 2023, pela Força-Tarefa Previdenciária. Os valores sacados seriam pagamento ilegal dos últimos cinco anos, obtidos através de solicitação do Auxílio-Reclusão, sem os documentos necessários e com data retroativa.

A investigação identificou indícios de que hackers podem ter usado indevidamente matrículas e senhas de servidores do INSS, para reativar benefícios sem o devido processo administrativo. E as suspeitas são de possível envolvimento de mais três pessoas, de Brasília, no planejamento e ajuda para execução da ação criminosa.

Os investigados poderão responder pelo crime de estelionato majorado e associação criminosa, sem prejuízo de eventuais outros delitos a serem apurados no curso das investigações.

A Força-Tarefa Previdenciária atua há 22 anos, combatendo crimes estruturados contra o sistema previdenciário. E é composta pelo Ministério da Previdência Social, pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal. (Com informações da Comunicação Social da Polícia Federal no Distrito Federal)

Reportar Erro