Melhora na inflação

Mercado prevê Selic de 11,75% ao fim de 2023 e PIB sobe para 2,89%

Boletim Focus sinaliza melhoras de índices financeiros, com queda na inflação e nos juros

acessibilidade:
Foto: José Cruz/ ABr

O relatório do Boletim Focus expôs, nesta segunda-feira (18), uma melhora nos indicadores financeiros deste ano, com a previsão de o ano de 2023 encerrar com a Selic em 11,75% e inflação oficial do IPCA caindo de 4,93% para 4,86%, após semanas de piora. O documento do Banco Central também sinaliza o mercado financeiro otimista, com previsão de crescimento do PIB da economia brasileira subindo de 2,64% para 2,89%.

A melhora no IPCA motiva a confiança para que haja avanço no corte da taxa básica de juros, na 6ª reunião deste ano do Copom, prevista para amanhã e quarta-feira, quando há expectativa do mercado de a Selic ser reduzida para 12,75% ao ano. A estimativa é que a taxa básica caia para 9% ao ano, para o fim de 2024. E reduza para 8,5%, para o fim de 2025 e de 2026.

O economista e Mestre em Economia Política pela PUC/SPA, André Perfeito, avalia a melhora nas projeções de IPCA como uma notícia importante uma vez que o Copom praticamente terceirizou a condução da política monetária ao comportamento das expectativas neste momento de incerteza sobre a dinâmica inflacionária brasileira e global. 

Se houver melhoras adicionais nas projeções, especialmente para 2024, irei revisar minha projeção de SELIC para o ano que vem, que hoje está em 10,75%, mas como acredito que não devemos ter muitas melhoras na margem até o fim do ano mantenho por ora a projeção no atual patamar”, concluiu.

Reportar Erro