Efeitos da catástrofe

Leite expõe novas demandas a Lula, em visita a áreas devastadas no RS

Governador esteve em Brasília e retorna com presidente ao seu Estado, onde visitará municípios do Vale do Taquari

acessibilidade:
Presidente Lula visita áreas destruídas por enchentes e dialoga com governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite (Foto: Arquivo/Ricardo Stuckert/PR)

Após formalizar apelos à cúpula do Congresso Nacional e do Palácio do Planalto pela manutenção de empregos e renda e contra a queda de arrecadação causada pela enchente histórica no Rio Grande do Sul, o governador Eduardo Leite (PSDB) retorna de Brasília ao seu estado, nesta quinta (6), acompanhado do presidente Lula (PT) ao estado. Antes de embarcar, Leite disse que vai expor a Lula novos pontos de demandas para o processo de reconstrução do RS, durante as quase três horas de viagem até áreas devastadas do Vale do Taquari.

Ontem, o governador cumpriu agenda emergencial na capital federal, onde levou ao presidente Lula e aos presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), um ofício com dois pedidos: pela criação de programa emergencial para manutenção de empregos e renda, com apoio a empresas no pagamento da folha para evitar demissões; e pela recomposição das perdas do Estado e dos municípios com a queda da arrecadação após a tragédia.

Em Brasília, Leite alertou que seu governo e as prefeituras gaúchas sofrerão ainda mais do que já sofreram em maio, com uma queda muito forte da arrecadação, que gera danos à prestação de serviços públicos à população. “Estamos falando de algo entre R$ 6 bilhões e R$ 10 bilhões até o final deste ano. Temos dialogado e trabalhado em conjunto com a União e os municípios para dar a resposta que o povo gaúcho merece. Confiamos que essas demandas, cruciais para o atendimento da população e manutenção de empregos, deverão receber a devida atenção do governo e do Congresso”, afirmou Leite, durante sua agenda no Distrito Federal.

Lula fará novo anúncio de apoio financeiro e assinará medidas provisórias, na agenda que que prevê visita, às 11h, ao bairro Passo de Estrela, em Cruzeiro do Sul, onde 650 casas foram destruídas; e às 13h, em Arroio do Meio.

Veja o que o governador disse antes de embarcar com Lula: