Guerra por territórios

Castro exalta prisões de chefes de narcomilícia, após tiroteio e mortes

Governador deu parabéns à Polícia Civil que confrontou Cara de Ferro e Andinho e matou dois de seus capangas, em boate de Curicica

acessibilidade:
Fuzis granadas e munição foram apreendidos em operação que matou dois narcomilicianos de Curicica (Foto: Reprodução PCERJ)

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), parabenizou a Polícia Civil fluminense por prender dois líderes de uma narcomilícia que trava uma guerra pelo controle de territórios na Zona Oeste. Claudio Cesar Rocha, o “Cara de Ferro”, e Anderson Ferreira de Oliveira, o “Andinho”, foram presos em uma boate de Curicica, durante um tiroteio que matou dois homens apontados como seus capangas, na madrugada desta quarta-feira (24).

Castro elogiou a operação que reuniu quatro delegacias, destacando a intensa investigação, com constante monitoramento e troca de informações de inteligência.

A Polícia Civil divulgou que os dois “seguranças” foram mortos após dispararem contra as equipes das delegacias de Repressão a Entorpecentes (DRE), de Combate às Organizações Criminosas e Inquéritos Especiais (Draco), da 22ª DP (Penha) e da 38ª DP (Brás de Pina).

Na operação, foram apreendidos dois fuzis, duas pistolas, centenas de munições de fuzil e de pistolas, dezenas de carregadores, duas granadas, entre outros materiais, segundo a Polícia Civil.

Reportar Erro