Avenida Paulista

Ato pró-Bolsonaro terá quatro governadores

Defesa pública do ex-presidente também contará com senadores e deputados e líderes da direita

acessibilidade:
Governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), mantém apoio ao ex-presidente Jair Bolsonaro (Foto: Arquivo/Presidência da República)

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), foi o quarto governador a confirmar presença na manifestação de defesa do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), marcado para a tarde deste domingo (25), na Avenida Paulista. Além de Zema, irão ao ato pró-Bolsonaro na capital paulista, os governadores de São Paulo, Tarcísio Gomes de Freitas (Republicanos); de Goiás, Ronaldo Caiado (União), e de Santa Catarina, Jorginho Mello (PL). O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), também é esperado no protesto.

A ausência mais relevante entre os governadores aliados a Bolsonaro será do chefe do governo do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), que está em viagem a Portugal. O objetivo da missão do governador fluminense, que coincidiu com o evento de defesa de seu conterrâneo e colega de partido, é buscar novas parcerias de negócios entre o estado do Rio de Janeiro e Portugal.

O ato marcado para 15h reunirá cerca de 20 senadores e mais de cem deputados e líderes políticos de oposição ao presidente Lula (PT), com expectativa de público recorde. E ocorrerá apenas três dias depois de depoimentos simultâneos do próprio ex-presidente, ex-ministros, ex-assessores e militares, à Polícia Federal, no âmbito de inquéritos que apuram supostos crimes de tentativa de golpe de Estado, contra a eleição do petista.

Com apelos do próprio ex-presidente para não haver ataques em faixas e discursos, o protesto é uma reação ao cerco de operações da Polícia Federal a Bolsonaro e seus aliados, autorizadas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes.

 

Reportar Erro