Mais Lidas

Magistratura

Cristina Peduzzi completa neste domingo 19 anos no TST, que atualmente preside

Até chegar ao TST em 2001, foi advogada, procuradora da República e procuradora do Trabalho

acessibilidade:
Ministra Maria Cristina Peduzzi, presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Considerada uma advogada brilhante e uma das mais preparadas e competentes ministras do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Maria Cristina Peduzzi, que atualmente preside a justiça do trabalho, completa neste domingo (21) dezenove anos de TST.

Em 2001, foi nomeada pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso pelo quinto constitucional da advocacia na vaga do ministro Ursulino Santos Filho. Na época em que disputou a vaga, a OAB Nacional era presidida pelo advogado Reginaldo Oscar de Castro. O diretor-tesoureiro do Conselho Federal (CFOAB), que depois também ocupou a presidência da entidade dos advogados, era Roberto Busato.

Filha de pai uruguaio e mãe brasileira, Peduzzi nasceu em Melo, no Uruguai, em 21 de dezembro de 1952, e foi criada em Bagé, no Rio Grande do Sul, optando pela nacionalidade brasileira.

Começou a estudar direito na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, transferindo-se tempos depois para Brasília. Concluiu o curso na Universidade de Brasília (UnB) em 1975, e também obteve pela Unb o título de mestre em Direito, Estado e Constituição.

Exerceu a advocacia desde 1975 até sua nomeação para o TST em 2001, com a exceção dos períodos em que foi procuradora da República, em 1984, e procuradora do Trabalho, em 1992 .

Foi professora de graduação e pós-graduação na UnB, no Centro Universitário de Brasília (Ceub) e na Universidade Mackenzie. Presidiu a Academia Nacional de Direito do Trabalho de 2002 a 2005.