Mais Lidas

Saneamento básico

Cresce acesso a saneamento, mas metade da população não tem rede de esgoto

Em 2018, rede de coleta de esgoto atingiu 105,5 milhões de brasileiros, o que equivale a 50,6% da população

acessibilidade:
Foto: Agência Brasil

A cobertura nas redes de esgotamento sanitário no Brasil cresceu 4,1%, em 2018, alcançando um total de 325,6 mil quilômetros, com mais 2 milhões de pessoas atendidas. No entanto, metade da população brasileira ainda não tem acesso a rede de esgoto, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), apresentados nesta terça-feira, 10. De acordo com o ministério, essa rede atende a 105,5 milhões de pessoas, o que equivale a 50,6% da população.

Os números constam do Diagnósticos da Prestação de Serviços de Saneamento Básico 2018 do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento.

Ainda de acordo com o levantamento, 46,3% de todo o esgoto gerado no país é efetivamente tratado.

As redes abastecimento de água potável também registraram aumento de 3,4%, passando a ter 662,6 mil quilômetros. Com isso, o abastecimento de água chegou a 169,1 milhões de habitantes, o que equivale a 83,6% da população do país.

Levando em consideração apenas a população urbana, os dados do Ministério apontam que 92,8% da população tem acesso ao abastecimento de água.

Os dados mostraram um aumento no consumo médio da população, que passou de 153,6 litros para 154,9 litros por habitante por dia.

Também aumentou o percentual de água que se perde na distribuição, que chegou a 38,5%. O índice de perda contempla, por exemplo, vazamentos, ligações irregulares ou falhas na medição.

O levantamento reúne informações obtidas junto a 9.780 prestadores de serviços de água, esgotos, manejo de resíduos sólidos urbanos, drenagem e manejo das águas pluviais urbanas de todo o país.

Vídeos Relacionados