Mais Lidas

Alta de 28%

Crédito rural do BB chega a R$ 254 bilhões no primeiro trimestre

Valor representa aumento de 28% de aumento nas linhas do Banco do Brasil, principal financiador da agricultura e pecuária brasileira

acessibilidade:
Agricultores alagoanos na lavoura. Foto Agencia Alagoas

O Banco do Brasil (BB) é o principal financiador da agricultura e pecuária nacionais, respondendo por mais de 50% do crédito rural do sistema financeiro. O volume da carteira de crédito agro do banco chegou a R$ 254,6 bilhões no primeiro trimestre de 2022, um crescimento de 28% em relação ao mesmo período da safra anterior. O presidente do BB, Fausto de Andrade Ribeiro, falou sobre este e outros assuntos em entrevista ao programa Brasil em Pauta, da TV Brasil.

“Nós tínhamos uma expectativa de uma carteira em torno de R$ 250 bilhões até o final da safra, nós já superamos esse valor: está em R$ 254 bilhões, posição em março, e crescendo. A posição até junho provavelmente deve ser um pouco maior do que isso. Em relação à safra 21/22, a programação inicial era de R$ 145 bilhões, dos quais praticamente todo esse valor já foi empregado na safra agrícola 21/22 por parte do Banco do Brasil”, disse Ribeiro.

No que diz respeito à safra 22/23, segundo o presidente do BB, o financiamento deve aumentar. “A gente vem conversando muito com o governo federal, principalmente no Ministério da Agricultura e Ministério da Economia. Com a previsão do incremento da nossa safra, pelo menos entre 20% a 30%, nós estamos falando aí entre R$ 175 bilhões a R$ 190 bilhões que devem ser empregados pelo Banco do Brasil na safra 22/23”, disse. “O cenário é muito positivo para o homem do campo, o que a gente precisa é fazer chegar esse dinheiro no tempo adequado porque a safra não espera”.

Manutenção do emprego

Durante a entrevista, Ribeiro também detalhou a participação do Banco do Brasil em medidas do governo federal para conter os efeitos da covid-19 na economia.

De acordo com o presidente do BB, milhares de empregos foram mantidos no Brasil durante a pandemia por meio do apoio do banco às micro e pequenas empresas brasileiras, no âmbito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). “O Pronampe é um dos programas brasileiros que mais incentivou a manutenção do emprego. A gente costuma dizer que os nossos empréstimos, que somaram mais de R$ 15 bilhões, salvaram pelo menos 3 milhões de empregos no Brasil”, destacou.

O programa foi criado pelo governo federal em 2020 para ajudar os micro e pequenos empresários durante a crise sanitária causada pela covid-19. Posteriormente, o Pronampe passou a ser permanente, como forma de consolidar os pequenos negócios como agentes de transformação e de desenvolvimento da economia nacional. No Banco do Brasil, as operações do Pronampe podem ser contratadas por meio do BB Digital PJ ou em qualquer agência do banco.

Reportar Erro