Alagoas

Cratera interrompe tráfego há 8 meses na BR-101 e DNIT faz pouco caso

DNIT prevê acabar 'ainda neste semestre' com o 'Buraco de Alagoas'

acessibilidade:
Erosão destruiu trecho alagoano da BR-101, em São Miguel dos Campos. Foto: Arquivo/Divulgação/DNIT

Enquanto o Governo de São Paulo fez sumir em 48h uma cratera que interditou, na terça-feira (1º), três faixas da Marginal Tietê, a resolução de outro problema complexo de erosão se arrasta desde junho de 2021, e mantém interditado um trecho da rodovia BR-101, em São Miguel dos Campos (AL).

O “Buraco de Alagoas”, como o trecho foi batizado por caminhoneiros, tem previsão de liberação de tráfego para “ainda neste semestre”, dada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

A rodovia BR-101 é fundamental para a economia do Brasil, por ligar o Sul e Sudeste do País ao Nordeste, nos seus 4.650 km entre São José do Norte (RS) e Touros (RN) . E a imprecisão sobre a data de extinção dos prejuízos enfrentados por motoristas pelo desvio na rodovia é explicada pelo órgão federal subordinado ao Ministério da Infraestrutura como fruto da complexidade da erosão causada pelas chuvas, ainda no inverno do ano passado.

Segundo o DNIT, o órgão comandado em Alagoas pelo superintendente Ricardo Barroso Filho avança “dia e noite” com os trabalhos, com equipes mobilizadas e tratando a obra como “prioritária”. “A previsão é de que ainda neste semestre o tráfego seja restabelecido de forma segura”, disse o DNIT, em release publicado há uma semana.

O órgão que atua sob a coordenação do ministro Tarcísio Gomes de Freitas afirma que a obra da recomposição do corpo do aterro segue em execução com serviços de lançamento de material pétreo, a execução de solo grampeado, a implantação de dispositivos de drenagem e outros.

Mas o ritmo dos trabalhos corre o risco de se tornar ainda mais lento, pela ocorrência de chuvas de verão e a proximidade entre a vaga previsão de término dos reparos e a quadra chuvosa, que inicia em abril.

Trabalho de recuperação de erosão na BR-101, em São Miguel dos Campos, se arrasta desde junho de 2021. Foto: Divulgação DNIT

A rota para veículos pesados foi desviada para a BR-316/AL, a AL-110 e em seguida retornando à BR-101, no município de São Sebastião, sentido norte-sul, e o inverso no sentido sul-norte. Já os veículos leves desviam a rota por meio das vias urbanas da cidade de São Miguel dos Campos.

O Diário do Poder fez contato com o superintendente Ricardo Barroso Filho, e o questionou sobre o que faltou e ainda falta para ser agilizada a resolução do problema. E o gestor do DNIT em Alagoas respondeu que encaminharia a solicitação de informações para a assessoria de comunicação e daria retorno. Não houve respostas até a última atualização desta matéria.

Reportar Erro