Mais Lidas

Febre amarela

Confirmada primeira morte por febre amarela no DF

A primeira vítima em Brasília teria contraído a doença em MG

acessibilidade:

Secretaria de saúde divulgou, na tarde desta quinta-feira (19), a primeira morte por febre amarela em Brasília. Segundo informações divulgadas pelo governo do Distrito Federal, o paciente é oriundo de Januária (MG), e teria contraído a doença em Minas Gerais.

O pedreiro de 40 anos viajou de ônibus para visitar parentes que moram no DF e ao desembarcar em Brasília na segunda-feira (16), já apresentava sintomas da doença. Foi encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de São Sebastião e morreu nesta quarta-feira (18).

Vacinação

A Secretaria de Saúde recebeu nesta semana do governo federal 25 mil doses da vacina contra a febre amarela. O quantitativo faz parte da remessa mensal e é distribuído de acordo com a demanda de cada região administrativa. Segundo a pasta, lotes extras são enviados pelo Ministério da Saúde prioritariamente aos locais com maior incidência de casos, como Espírito Santo, Minas Gerais e São Paulo.

“Nossa situação é bastante confortável. A vacina é a forma mais eficaz de prevenção, e o DF faz imunização regular desde 1980, o que diminui os riscos de um surto”, tranquiliza a gerente de Vigilância Epidemiológica e Imunização, Olga Rodrigues.

Em situação normal são aplicadas de 14 a 20 mil doses por mês na capital do País, e o que sobra fica no estoque da secretaria. Neste mês, por conta do aumento de casos em outras unidades da Federação, a procura nos postos do DF pode ser maior. Por isso, nos centros de saúde onde o estoque está baixo ou acabou, a Saúde tem feito reposições periódicas.

Embora o DF não apresente surto da doença desde 2008, quem planeja viajar nas próximas semanas deve ficar atento a algumas orientações. Pessoas que nunca receberam a vacina ou tomaram apenas uma dose há dez anos ou mais devem procurar uma unidade básica de saúde, que possua sala de vacinação. A medicação tem de ser administrada dez dias antes do deslocamento para áreas de risco.

Quem tomou a primeira dose há menos de dez anos pode aguardar até que se complete esse período para a reaplicação. As salas de vacinação no DF oferecem a imunização o ano todo de forma gratuita. A injeção é contraindicada para gestantes, pessoas com o sistema imunológico debilitado e alérgicos a gema de ovo. (Ag Brasília)

 

 

Vídeos Relacionados