depois da polêmica...

Comissão adia votação de projeto que cria 130 cargos comissionados

Câmara quase aprovou projeto que cria 130 vagas para comissionados na Caesb

acessibilidade:

A polêmica no projeto que cria 130 cargos comissionados para a Companhia de Saneamento de Ambiental do Distrito Federal (Caesb) atrasou sua votação pela Comissão de Economia, Orçamento e Finança (Ceof) da Câmara Legislativa. A manifestação de parte dos 1,5 mil concursados que aguardam nomeação levou o presidente da Comissão, Rôney Nemer (PMDB), a adiar a votação. Antes de suspendê-la, no entanto, Nemer, Arlete Sampaio (PT) e Washington Mesquita (PSD) haviam sinalizado que votariam favorável ao projeto de lei apresentado pelo governador Agnelo Queiroz.

Em regime de urgência, o projeto é polêmico. De um lado, o governo alega necessidade de criar os cargos para atender a um pedido da Justiça, que manda exonerar os servidores sem concurso. Do outro, aprovados no último processo seletivo e representantes do Sindicato da Água (Sindágua) acusam o governo de usar a Caesb para abrigar apadrinhados políticos. Eles alegam que a proposta cria uma espécie de ‘trem da alegria’, que beneficia servidores comissionados.

Uma decisão judicial do Tribunal Superior do Trabalho pede a demissão de todos os cargos comissionados da Caesb. Apesar da sinalização favorável, Rôney Nemer alegou que não analisa o mérito da proposta. ?Meu voto poderá ser diferente no plenário?, anunciou. Arlete Sampaio disse que foi ?convencida pelos comissionados, que são pais de família?, a aprovar o projeto. ?Se eu fosse diretora lá, queria alguém da minha confiança trabalhando comigo?, alegou. Já o distrital Washington Mesquita seguiu voto do relator. Michel (PEN) e Aylton Gomes se ausentaram.