Mais Lidas

No Distrito Federal

Com aumento no consumo de água, Adasa faz campanha de conscientização

Volume consumido no DF nos quatro primeiros meses de 2019 foi 10,1% maior que no mesmo período do ano passado

acessibilidade:
Barragem do Descoberto. Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília.

Após o consumo de água aumentar na capital, a Agência Reguladora de águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa) lançará na próxima segunda (17) a campanha “Use, reuse, economize & repita”, enfatizando a necessidade do consumo consciente e do combate ao desperdício do recurso hídrico.

De acordo com a agência, nos primeiros quatro meses deste ano, o volume de água consumido no DF foi 10,1% maior que o registrado no mesmo período do ano passado, quando a capital ainda enfrentava o racionamento de água.

Nos primeiros quatro meses de 2018, foram consumidos 46,3 milhões m³; em 2019, aumentou para 51 milhões m³, muito próximo do que foi registrado em 2016 (52,7 milhões m³), antes da crise hídrica.

Embora no acumulado daquele ano o aumento do consumo de água tenha sido de apenas 0,6%, na comparação com 2017, os meses de julho a dezembro de 2018 registraram um crescimento do consumo de 3,4%, em relação ao mesmo período do ano anterior, chegando a níveis próximos de 2016, no último trimestre.

O governo aponta que, apesar da situação hídrica estar relativamente tranquila nos próximos meses, a Adasa quer fortalecer a manutenção das boas práticas de consumo de água, adotadas pela população da capital durante a crise hídrica.

Nesta terça (11), a agência divulgou as novas metas para os reservatórios de Descoberto e Santa Maria. A meta para o volume útil do reservatório do Descoberto, que opera com a capacidade máxima desde 27 de dezembro do ano passado, é de 92% para o fim de junho. Em agosto, período crítico de estiagem na capital, o volume cai para 69% e é previsto em 64% em dezembro.

Já no reservatório do Santa Maria, que está com capacidade máxima desde 19 de maio deste ano, a previsão é de 96% para junho, 83% em agosto, 69% em outubro e novembro e 72% em dezembro. (Com informações da Agência Brasília)