Mais Lidas

Boatos assustam

Autoridades negam colapso em bairro de Maceió com fissuras após tremor de terra

Boataria assusta moradores, enquanto Bolsonaro apoia busca por respostas

acessibilidade:
Rachadura em prédio no bairro do Pinheiro, em Maceió. Foto: Reprodução TV Gazeta/Rede Globo

A Defesa Civil de Maceió e o Serviço Geológico do Brasil alertam a população do bairro do Pinheiro de que é inverídica e precipitada qualquer informação que aborde uma suposta situação de colapso na região onde apareceram fissuras no solo, em casas e prédios, após os tremores de terra nas chuvas de verão do início de 2018. O alerta foi feito por causa do surgimento de boatos nas redes sociais, após o presidente da República Jair Bolsonaro determinar, na última sexta-feira (11), que sejam viabilizadas todas as condições que levem à identificação das causas do fenômeno e proposição de soluções.

O geólogo e pesquisador do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), Thales Sampaio, coordena o trabalho de especialistas em busca de respostas sobre o fenômeno no Pinheiro, e informou que os trabalho devem ser intensificados, por causa da intervenção do presidente a pedido do prefeito Rui Palmeira (PSDB).

“A situação é, de fato, bastante complexa e exige a utilização de métodos diretos e indiretos de geologia e geofísica, por isso, a dimensão dos estudos. Mas com o suporte do governo federal, seguindo a determinação do próprio presidente da República, está garantido tudo o que for necessário em relação aos recursos financeiros, operacionais e técnicos para esclarecer o que acontece no bairro”, explica Sampaio.

Os estudos sobre as causas das ocorrências que colocam em risco moradores de alguns imóveis com estrutura danificada estão sendo executados por especialistas de diversas áreas designados pelo Governo Federal, ainda sem previsão de encerramento, devido à complexidade e raridade do fenômeno.

E o monitoramento na região é constante, realizado por especialistas de diversas partes do país que estão acompanhando a situação em Maceió.

“Estamos trabalhando com uma grande equipe para identificar as causas do fenômeno. São  mais de 20 especialistas, entre geólogos, geofísicos, geotécnicos, engenheiros, pessoal da batimetria. Nós não paramos de trabalhar e não pararemos até esclarecer a situação”, informa Thales Sampaio.

Os órgãos públicos orientam que qualquer informação ou dúvida sobre o caso deve ser esclarecida por meio dos canais oficiais. A Defesa Civil de Maceió orienta que, para qualquer esclarecimento, o cidadão busque canais oficiais de informação, seja no site da Prefeitura de Maceió, por meio do link www.maceio.al.gov.br/defesacivil, ou pelo número 0800 030 6205. As informações também podem ser acessadas no site do Serviço Geológico do Brasil aqui.

Clique no mapa abaixo e veja a situação de risco na região:

(Com informações da Ascom Semds)