Empresários são suspeitos

Auditor fiscal é morto e carbonizado ao fiscalizar empresa em Alagoas

Foi preso em Maceió um dos dois suspeitos do crime, que são irmãos e donos da empresa irregular fiscalizada

acessibilidade:
Corpo do auditor fiscal Joao de Assis foi encontrado carbonizado ao autuar empresa irregular, em Maceió. Foto: Divulgação

O auditor fiscal da Secretaria de Estado da Fazenda de Alagoas (Sefaz), João de Assis, foi assassinado e seu corpo encontrado, no fim da noite de ontem (26), carbonizado em um canavial de Maceió. O trabalhador desapareceu ontem (26), segundo a Polícia Civil, após bater com a cabeça e ficar desacordado, ao lutar contra agressões de dois irmãos que são proprietários de uma empresa com irregularidades. A dupla de empresários é suspeita do crime, um deles foi preso e outro está foragido.

Quando foi agredido no bairro Tabuleiro dos Martins e levado para ser carbonizado na região da Cachoeira do Meirim, parte alta de Maceió, João de Asiss atuava a serviço da Central de Operações Estratégicas e Fiscalização Interna (Coefi) da Sefaz.

As informações sobre o crime e os suspeitos foram confirmadas pelo delegado Thales Araújo, que relatou à Gazetaweb que o celular do auditor fiscal foi encontrado em um terreno baldio, no município de Rio Largo. A partir do aparelho, a polícia conseguiu refazer os passos do servidor e chegar até os suspeitos.

“Com a análise dos dados do celular da vítima, conseguimos chegar a um dos suspeitos. Os dois são irmãos, donos de um estabelecimento com inscrição indevida e que foram fiscalizados pelo auditor. Com receio de terem o estabelecimento fechado, eles cometeram o crime”, afirma o delegado.

A perícia inicial, feita no local do crime, aponta que o corpo de João apresentava sinais de muita violência. Havia cortes na cabeça e o fêmur estava quebrado.

Segundo o delegado, familiares de João de Assis confirmaram que o auditor costumava realizar as fiscalizações em estabelecimentos sozinho, apesar de não ser recomendado.

Conforme informações repassadas pela Sefaz, o sumiço de João foi notado por volta de 14h, após ele não responder a uma diligência encaminhada pela chefia. Neste momento, foi ligado o sinal de alerta. As buscas pelo auditor começaram a partir do final da tarde.

O governador-tampão Paulo Dantas (MDB) decretou luto oficial no estado de Alagoas. “O Estado de Alagoas não vai aceitar nenhum ataque contra o serviço público. Um auditor fiscal no exercício de suas funções representa todo e qualquer cidadão alagoano. Temos profissionais honrados e leais na nossa Receita Estadual. Sou solidário aos familiares e amigos do auditor João de Assis”, afirmou Dantas, candidato à reeleição. (Com informações da Gazetaweb)

 

Reportar Erro