Mais Lidas

Parceria Público Privada

Empresa privada assume a gestão do estádio Mané Garrincha, em Brasília

Arena BSB assume o complexo pelos próximos 35 anos

acessibilidade:
ArenaPlex abrange o Estádio Nacional Mané Garrincha, o Ginásio Nilson Nelson e o Complexo Aquático Cláudio Coutinho Foto: Terracap

A empresa Arena BSB assume nesta terça-feira (04) a gestão integral do Centro Esportivo de Brasília, conhecido como ArenaPlex, pelos próximos 35 anos. O complexo abrange Estádio Nacional Mané Garrincha, o Ginásio Nilson Nelson e o Complexo Aquático Cláudio Coutinho.

No contrato com o Governo do Distrito Federal (GDF) foi firmado o compromisso da construção do Boulevard Monumental, que ficará na região atrás do Estádio Nacional e do Nilson Nelson, que terá cinema, teatro, casa noturna, restaurantes, academia, quadras esportivas, lojas, clínicas e escritórios.

Objetivo é criar na região central da Capital Federal um local para que os moradores do DF e os turistas possam desfrutar de diversas atividades ao ar livre, com opções de entretenimento e cultura.

Richard Dubois, diretor-presidente da Arena BSB, já afirmou, no momento da assinatura do contrato, que seu objetivo é fomentar o turismo, com a criação do pólo do Planalto Central aonde ocorreram shows e eventos. “Esperamos trazer 10 milhões a mais de turistas para Brasília. Temos uma área maravilhosa ociosa e queremos aproveitar isso.”

A expectativa é de que, durante o período de uso do complexo, o Arena BsB invista em reformas pontuais e revitalização, incluindo paisagismo e adequações no equipamento e na área de estacionamento, cujo valor deve ultrapassar R$ 700 milhões. Além disso, em 35 anos, terão sido repassados R$ 150 milhões em outorga à Terracap, considerando que o consórcio terá um prazo de carência de cinco anos para realização das obras, além do repasse de 5% do faturamento líquido.

O potencial de arrecadação durante os 35 anos é superior a R$ 3 bilhões, o que inclui os tributos pagos pelo Arena BsB e os incidentes sobre a receita do Boulevard. Ao todo, quatro mil empregos diretos devem ser gerados.

Soma-se a esse montante a economia aos cofres públicos com a dispensa da manutenção de todo o centro esportivo, na ordem de R$ 13 milhões ao ano.