compra investigada

Anvisa recebe pedido de uso emergencial da vacina indiana Covaxin

A compra de 4 milhões de doses da Covaxin está sendo investigada pelo Ministério Público e pela CPI da Pandemia

acessibilidade:
frascos de vacina com lupa ao lado
A solicitação de importação foi feita pelo Ministério da Saúde

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu, nesta terça-feira (29), um pedido de uso emergencial da vacina indiana Covaxin utilizada no combate à Covid-19. A distribuidora Precisa Comercialização de Medicamentos foi a responsável pelo pedido.

A agência terá prazo de sete ou 30 dias para emitir um parecer favorável ou desfavorável ao pedido de uso. O prazo de sete dias vale para imunizantes em desenvolvimento clínico no Brasil ou que possua relatório técnico que comprove as conformidades exigidas pela OMS.

A compra do imunizante foi permitida de forma excepcional pela Anvisa, no início de junho, mesmo sem autorização de uso aprovada pela agência.

O Ministério Público Federal e o Senado Federal, por meio de sua CPI da Pandemia, investigam a aquisição das 4 milhões de doses da Covaxin, em contrato firmado com o Ministério da Saúde.

Reportar Erro