Mais Lidas

R$ 1,5 bilhão em casas

Maceió avança para reduzir 43% do déficit habitacional com mais 4,6 mil casas em obras

Desde 2014, gestão de Rui Palmeira reduziu 37,5% do déficit habitacional, com 10 mil casas entregues

acessibilidade:
Rui Palmeira, prefeito de Maceió. Foto: Pei Fon/ Secom Maceió

Avançando na direção da meta de atingir o percentual de 43% de redução do déficit habitacional nos próximos dois anos, o prefeito de Maceió (AL) Rui Palmeira (PSDB) recebeu autorização para construção de mais 4.696 unidades habitacionais na capital alagoana. Desses novos lares para os maceioenses, 2.920 já começam a ser construídas nesta semana. Já são cerca de R$ 1,5 bilhão de investimentos na habitação popular, no âmbito do Minha Casa Minha Vida.

Desde 2014, já foram entregues 10.032 unidades habitacionais para maceioenses de baixa renda, 5.936 têm construção em andamento e outras 2.524 serão contratadas ainda em 2018 totalizando 18.492 unidades habitacionais. Até o momento, Maceió já alcançou uma redução de 37,5% do déficit habitacional, em parceria do prefeito tucano com o senador Benedito de Lira (PP-AL) e o governo federal, que não foi reeleito no último domingo (07).

As nova unidades em construção integrarão os empreendimentos Alamedas do Farol (480), Alamedas do Pontal (480), Alamedas Jatiuca (480), Alamedas Pajuçara (480) e Oiticica I e II (1.000), todos localizados no Benedito Bentes, o bairro mais populoso de Maceió.

“São obras muito importantes, porque nós temos uma demanda enorme por unidades habitacionais. Essas moradias são, principalmente, para famílias moram em barraco de lona ou em locais de extremo risco. Em breve, mais maceioenses terão moradias com água encanada, energia elétrica, esgotamento sanitário e o conforto que toda família merece”, afirma o prefeito.

Residencial Vale Bentes I vai beneficiar 500 famílias. Foto: Pei Fon/Secom Maceió

Condições dignas

As construtoras responsáveis pelas edificações começarão a preparar os terrenos para erguer os residenciais, que atenderão a população de Maceió, com renda de até R$ 1.800. Os recursos são do Programa Minha Casa Minha Vida e as famílias beneficiadas podem financiar o imóvel em até 120 meses, com prestações que variam entre R$ 80 e R$ 270, a depender da renda bruta familiar.

Na lista também se inclui o Projeto Vales do Mundaú, a ser construído na orla lagunar para atender a população dos assentamentos Torre, Sururu do Capote, Muvuca e Mundaú. As obras desse residencial devem iniciar até o final de novembro, após a conclusão do processo de escolha do empreendedor que fará a construção.

“São pessoas que deixaram moradias inadequadas para habitar em um lugar seguro, longe do risco de desabamento ou enchentes, com infraestrutura, acesso a serviços básicos e em um ambiente salutar”, afirma Mac Lira, secretário de Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente (Sedet).

A Prefeitura de Maceió está acompanhando o andamento das obras dos novos residenciais que estão em construção no município. São três residenciais e 1.240 unidades habitacionais sendo erguidas nos bairros do Benedito Bentes (1.000) e Rio Novo (240).

O Residencial Vale Bentes I está em fase bem avançada, com metade da obra concluída. “Nesse momento, estamos finalizando a parte de estrutura e entrando no acabamento e infraestrutura do condomínio”, informou o engenheiro responsável pela obra, Joaquim Omena.

Já o Residencial Vale Bentes II, também no Benedito Bentes, iniciou a construção em agosto deste ano e está finalizando a terraplanagem e fundações, o que representa 10% do total da obra.

No Rio Novo, o Vale do Parnaíba já concluiu 40% da obra, segundo informações do diretor de Obras da construtora responsável, Amintas Jorge Viana Machado. O condomínio encontra-se na fase de aplicação do reboco na parte interna e externa e nos próximos dias começa a implantação da cerâmica.

Aliados aos benefícios da casa própria, o Programa Minha Casa Minha Vida movimenta a economia local, gera emprego e renda e contribui para melhorar a qualidade de vida da população. (Com informações da Ascom da Sedet)