De olho na Copa

2,6 mil agentes de segurança discutem plano operacional

Secretário garante que a Segurança Pública "não treina, ela joga"

acessibilidade:

Mais de 2,6 mil homens e mulheres que fazem parte das Forças de Segurança e de defesa do DF se reuniram nesta quinta-feira (5), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, para discutir os planos operacionais para a Copa do Mundo. Na ocasião, a Secretaria de Segurança reafirmou que a capital do país está preparada para o evento.

“Essa reunião foi a última oportunidade que tínhamos de reunir todas as forças para fazer essa apresentação. Como não foi possível trazer o efetivo total de 15 mil, porque a segurança pública não para, então reunimos os comandantes para que depois eles retransmitam isso aos demais integrados”, afirmou o secretário de Segurança do DF, Paulo Roberto Batista de Oliveira.

De acordo com Oliveira, os treinamentos continuam. “A gente até brinca, porque a Segurança Pública não treina, ela joga. Temos o Pentecostes e vamos replicar nessa data a mesma operação que vamos utilizar na Fan Fest”, revelou o secretário, que apontou a Copa das Confederações como uma experiência que colocará o DF em vantagem na Copa entre as unidades da Federação.

O programa “Ação pela Vida” também foi destacado pelo representante do órgão como outra vantagem na atuação das forças do DF. “Esse núcleo de integração é o que possibilita chegarmos à copa com a melhor condição. Essas estruturas de comando integradas aliadas à experiência em nível nacional fará com que sejamos destaque internacional”, informou.

O diretor-adjunto da PCDF, Watson Warmilimg, aproveitou a oportunidade para reafirmar a função constitucional do órgão e estabelecer os quatro graus de risco definidos para o período. Segundo ele, o grau 1 é quando não há jogos no país; o 2, quando há jogos no Brasil, mas não em Brasília; o 3, quando há jogos em Brasília e da Seleção Brasileira fora do DF; e o 4, nos dias de jogo da Seleção no DF.

PLANO OPERACIONAL – O plano operacional da cidade para a Copa do Mundo contará com a participação de cerca de 14,5 mil profissionais, entre forças policiais, forças armadas, bombeiros e fiscais de trânsito. O estádio Mané Garrincha será palco de sete jogos do Mundial, incluindo uma das partidas da Seleção Brasileira na primeira fase. Ag. Brasília

Reportar Erro