Brasil e Regiões


Últimas Notícias


18/01/2019

Senador Rodrigo Cunha elogia mobilização de moradores de bairro com fissuras

Tremores em Maceió

Senador Rodrigo Cunha elogia mobilização de moradores de bairro com fissuras

Parlamentar diz que monitora situação do Pinheiro há quase um ano

O deputado estadual e senador eleito mais votado de Alagoas, Rodrigo Cunha (PSDB-AL), recebeu hoje moradores do bairro do Pinheiro e prometeu buscar através de seu novo mandato uma solução célere para os problemas de fissuras no solo e em imóveis que ameaçam desmoronar em Maceió (AL). Em seu gabinete na Assembleia Legislativa, o parlamentar elogiou representantes do Movimento SOS Pinheiro pela mobiliação social no momento de aflição e incertezas que atraiu a atenção especial do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que determinou esforço dos órgãos federais para dar respostas e soluções para o fenômeno registrado há cerca de dez anos e agravado por tremores de terra ocorridos em fevereiro e março de 2018. “Acompanho e monitoro, há quase um ano, a situação enfrentada pelos moradores do bairro do Pinheiro. Realizei, na manhã de hoje, reunião com representantes do Movimento SOS Pinheiro, que vem dando um verdadeiro exemplo de mobilização social”, escreveu Rodrigo Cunha, nas redes sociais. O senador que toma posse em fevereiro lembrou que o bairro vem, nos últimos meses, enfrentando uma verdadeira alteração da sua rotina pacífica e os moradores vem buscando conviver com a aflição de não saber qual será o futuro de seus lares. “Ciente da situação de emergência do bairro, coloquei meu mandato à disposição para buscar uma solução célere à questão, firmando o compromisso de garantir a melhor solução possível aos moradores do Pinheiro”, comprometeu-se Cunha. Além do senador tucano, o senador Fernando Collor (PROS-AL) também se manifestou ontem (17), dizendo que adota gestões para apressar o diagnóstico a ser feito pelos especialistas e também colocando seu mandato à disposição dos moradores.
18/01/2019

Bairro de Maceió que ameaça desmoronar terá evacuação simulada em fevereiro

Plano de contingência

Bairro de Maceió que ameaça desmoronar terá evacuação simulada em fevereiro

Fissuras já provocaram a saída de 150 das famílias do Pinheiro, em Maceió

Um Plano de Contingência foi apresentado nesta sexta-feira (18) para ações emergenciais no bairro atingido por tremores de terra e fissuras em Maceió (AL) e marcou para 15h do dia 23 de fevereiro uma simulação de evacuação da área de risco. O socorro emergencial simulado para moradores do bairro do Pinheiro terá a participação de 600 profissionais no evento preventivo, com ponto de concentração no Centro Educacional de Pesquisa Aplicada (Cepa). Em nota conjunta dos órgãos de Defesa Civil do Município, do Estado e do Governo Federal, o engenheiro da Defesa Civil Nacional, Rafael Machado, destacou que o Plano é um documento padrão exigido legalmente. “É muito importante a população ficar ciente de que o Plano de Contingência é um instrumento gerencial, administrativo e padrão de convivência com os riscos. É normal para toda e qualquer situação emergencial, previsto em lei. Não é excepcional ao caso do Pinheiro”, reforça o técnico da Defesa Civil Nacional. A Sala de Comando será instalada no 59º Batalhão de Infantaria Motorizada do Exército, na Avenida Fernandes Lima, e haverá seis pontos de encontro estão no entorno das 26 áreas consideradas de risco, segundo avaliação de pesquisadores do Serviço Geológico do Brasil(CPRM). No caso de ativação do Plano de Contingência, os pontos de encontro são o estacionamento da Casa Vieira do Farol, a rua entre as concessionárias Wolksvagem e Hyundai (Avenida Fernandes Lima), a Cepa (Avenida Fernandes Lima), a sede do Instituto de Meio Ambiente de Alagoas (Mutange), a Praça Lucena Maranhão (Bebedouro) e o Terminal do Sanatório. A programação de encontros agendados para alinhar a logística e de ações operacionais para o evento preventivo prevê reuniões do grupo de trabalho nos dias 05 de fevereiro e 21 de fevereiro, às 9h, na Sala de Comando do Exército. Joelinton Barbosa, morador do Pinheiro, falou sobre o acompanhamento das ações. “Fomos convidados para todas as reuniões e estamos acompanhando tudo. Existe todo um cuidado dos órgãos que estão à frente desse processo. É de fundamental importância o Plano de Contingência para que cada um entenda sua responsabilidade e para que ele seja bem aplicado para não gerar riscos e pânico”, avaliou o morador. A fala do morador reflete o fenômeno repentino que se deu nestas primeiras semanas de 2019, quando, de repente, da falta de informação, surgiu informação de várias fontes oficiais em grande volume. Não há nada conclusivo para explicar e resolver o avanço das rachaduras ampliadas desde as chuvas de fevereiro e março do ano passado. Mas os dados estão sendo importantes para conter a onda de boatos e incitação de pânico ainda difundida pelas redes sociais e aplicativos de mensagem. Ações institucionais O Plano de Contingência é um instrumento legal determinado pelo Governo Federal para qualquer situação de risco à população e é uma das ações articuladas pela Prefeitura de Maceió dentro do trabalho para identificar as causas do surgimento de fissuras no bairro Pinheiro. O documento vem sendo elaborado desde o ano passado, quando o Município iniciou as tratativas com a União a fim de esclarecer o fenômeno. E foi apresentado nesta sexta-feira (18), no Palácio República dos Palmares, sede do governo estadual. Multidisciplinar e interinstitucional, o plano conta com contribuições de órgãos federais, estaduais e municipais. “O documento organiza as ações caso seja necessário a adoção de medidas emergenciais. Desde o momento que se decreta estado de emergência, a região está sendo monitorada e tem que ter um Plano, que reúne todas as instituições para dar atenção à população”, afirmou o secretário de Defesa Civil de Maceió, Dinário Lemos. Outras duas etapas ainda devem ser realizadas para que o Plano seja oficializado com a assinatura dos titulares de todas as instituições envolvidas. Em linhas gerais, conforme alinhamento entre as equipes do Governo Federal, do Governo do Estado e da Prefeitura de Maceió, o Plano ficará subdividido em duas partes. A assistência e atendimento à população ficarão sob a responsabilidade da Defesa Civil Municipal, por meio das secretarias municipais. Já nas repostas em situações de emergência, em necessidade de atendimento imediato, a atuação será coordenada pela Defesa Civil Estadual, por meio de forças policiais. “O Plano se faz necessário. É um somatório de todos os entes federativos. O trabalho do Município no Plano de Contingência já começou com cadastramento, retirando as pessoas das áreas de risco, buscando recursos com o Governo Federal e o apoio do Governo Estadual para que caso haja necessidade, estejamos prontos para dar a resposta e salvar todos. Vamos realizar um simulado com a população do Pinheiro para que, em caso de evacuação, todos saibam como agir”, explicou o Tenente Coronel Moisés Melo, coordenador estadual de Defesa Civil de Alagoas. Números A região do bairro Pinheiro foi subdividida em quatro áreas levando em consideração o risco de subsidência, que representa a possibilidade de acomodação do solo. Ao todo, o Serviço Geológico do Brasil listou 26 áreas, divididas em muito alto risco (493 imóveis), alto risco (1.158 imóveis), médico risco (325 imóveis) e baixo risco (3.456 imóveis), totalizando 5.432 imóveis na região afetada pelas fissuras. Nesta região, a população é de 20.099 habitantes. Em relação à evacuação preventiva dos imóveis, a recomendação foi emitida a 178 proprietários de imóveis, sendo sete casas e 172 apartamentos nos Conjuntos Divaldo Suruagy, Jardim Acácia e Potengy. A Defesa Civil recomendou a retirada das famílias e, aos poucos, os moradores estão deixando seus imóveis como medida de segurança. Para garantir o auxílio moradia, as famílias foram cadastradas pela Defesa Civil de Maceió e toda a documentação está sendo encaminhada para o Governo Federal. Parte dos recursos foi  liberada pela União nesta sexta-feira (18) e outros moradores também serão contemplados em lotes futuros, conforme divulgou o Ministério de Desenvolvimento Regional. Clique no mapa abaixo e veja a situação de risco na região: A Defesa Civil esclarece ainda que qualquer alteração do mapa de instabilidade do Pinheiro será amplamente informada à população por meio dos canais oficiais de comunicação da Prefeitura de Maceió, do Governo de Alagoas e do Governo Federal, não havendo, portanto, razão para pânico ou evacuação sem orientação dos órgãos de Defesa Civil. Para mais informações sobre a ação emergencial no bairro do Pinheiro, acesse: http://www.mi.gov.br/defesacivil http://www.defesacivil.al.gov.br/defesa_civil www.maceio.al.gov.br/defesacivil (Com informações da Secom Maceió)
18/01/2019

Ministro envia ajuda a 80 famílias de bairro com 20 mil ameaçados por fissuras, em Maceió

Riscos de desabamento

Ministro envia ajuda a 80 famílias de bairro com 20 mil ameaçados por fissuras, em Maceió

R$ 480 mil enviados pagarão aluguel de R$ 1 mil por seis meses

Enquanto especialistas do Brasil inteiro buscam respostas para a origem de tremores e fissuras que levaram apreensão a mais de 20 mil pessoas no bairro do Pinheiro, em Maceió (AL), o Governo Federal autorizou, nesta sexta-feira (18), o início do repasse financeiro para a ajuda humanitária às famílias de imóveis com maior risco de desabamento e recomendação para desocupar suas residências. A liberação de R$ 480 mil em verbas federais para 80 famílias foi oficializada em portaria assinada pelo ministro do Desenvolvimento Regional (MDR), Gustavo Henrique Rigodanzo Canuto, publicada no Diário Oficial da União. Este primeiro lote do repasse contempla 80 famílias que tiveram os imóveis mais danificados e classificadas como de maior risco. O valor para cada proprietário será de R$ 1 mil mensal por seis meses, segundo o Ministério do do Desenvolvimento Regional (MDR). O repasse inicial foi autorizado uma semana depois de o presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) atender ao apelo do prefeito de Maceió (AL) Rui Palmeira (PSDB) e determinar atenção especial do Governo Federal para socorrer os maceioenses e obter respostas para o fenômeno que pode estar ligado à exploração de sal-gema pela Braskem na região que possui uma falha tectônica. E a multinacional tenta provar as causas das rachaduras e tremores de terra. A Prefeitura de Maceió informou que outros moradores devem receber o benefício, nos próximos dias, com nova liberação de recursos para atender a população, conforme a evolução dos danos e nível de risco. “A liberação dos recursos da ajuda humanitária garante o auxílio moradia às famílias que tiveram de deixar seus imóveis por recomendação da Defesa Civil como uma medida preventiva. Seguimos com as tratativas com a União, tivemos a garantia de total apoio em recursos financeiros, técnicos e operacional para resolver a situação, como anunciou o presidente Jair Bolsonaro. Sabemos da complexidade do caso, mas temos certeza de que todos os especialistas estão bastante engajados para os devidos esclarecimentos. Seguiremos com o nosso trabalho para garantir, junto ao Governo Federal, a assistência necessária à população”, disse o prefeito Rui Palmeira. A Defesa Civil Estadual e Municipal divulgaram hoje que, dentro da área vermelha, com risco muito alto de acomodação do solo, estão 1.824 pessoas em 493 residências. Na área laranja, de risco alto, estão 4.285 pessoas em 1.158 residências. Na amarela, de risco médio, estão 1.203 pessoas em 325 residências. Na área apontada como de baixo risco, foram registradas 12.787 pessoas em 3.456 residências. No total, o problema atinge direta e indiretamente 20.099 pessoas em 5.432 residências. Cadastramento Os recursos para ajuda humanitária são decorrentes da situação de emergência do bairro Pinheiro, cujo decreto foi publicado pela Prefeitura de Maceió e reconhecido pelo Governo Federal, em dezembro do ano passado. Para que as famílias tenham acesso ao benefício, foi necessário um cadastro com a apresentação de documentação pessoal e de comprovação de posse do imóvel que teve a recomendação de evacuação devido ao risco pelas fissuras na infraestrutura. Titular da Defesa Civil de Maceió, Dinário Lemos ressalta que este lote contemplou as primeiras famílias que deixaram seus imóveis após a receberem a orientação de técnicos do órgão. O gestor atualizou os números de evacuações e explicou que todos moradores que estiverem nesta situação também serão incluídos nas próximas etapas do cadastro do Governo Federal. “Nossas equipes estão diariamente nas ruas para fazer avaliações conforme a Defesa Civil é acionada pela população. Fizemos os primeiros cadastros e, à medida que for necessário, vamos encaminhar toda a documentação das famílias com a solicitação dos recursos para a ajuda humanitária. Ao todo recomendamos a evacuação de 178 imóveis, sendo sete casas e 172 apartamentos nos conjuntos Divaldo Suruagy, Jardim Acácia e Potengy”, disse Dinário Lemos. A Defesa Civil orienta que qualquer alteração em relação à infraestrutura nos imóveis da região a população deve acionar o órgão por meio do número 0800 030 6205. (Com informações da Ascom Semds)
18/01/2019

Alvo da PF, deputada empregou marido e irmã na saída do mandato na ALE

Boquinhas da família

Alvo da PF, deputada empregou marido e irmã na saída do mandato na ALE

Deputada Thaíse Guedes foi indiciada na Sururugate por 25 crimes de peculato

A deputada estadual Thaíse Guedes (PTB-AL) mantém seu talento para fabricar escândalos até a reta final de seu mandato e, talvez, de sua carreira política. Não reeleita para o que seria seu terceiro mandato na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), a deputada empregou no Legislativo Estadual o seu marido, sua irmã e até uma pessoa identificada como a babá que trabalha em sua casa. As nomeações foram formalizadas no dia 2 de janeiro, mas somente foram publicadas ontem (17) no Diário Oficial, a duas semanas do fim do mandato da parlamentar indiciada pela Polícia Federal acusada de 25 crimes de peculato, no âmbito da Operação Sururugate. A partir das nomeações revogadas hoje (18) após repercussão na imprensa, os parentes da deputada receberiam salários brutos de R$ 10.702,98, com as famigeradas “gratificações por dedicação excepcional (GDEs)”que poderiam fazer os salários atingirem R$ 21 mil por cargo. Os beneficiados pelas nomeações foram o marido da deputada, Rodrigo Manuci do Carmo; e a irmã Thayane de Souza Guedes. A nomeada no mesmo dia, Rosimeire do Nascimento Azevedo foi citada como tia da deputada. E Edna Maria dos Santos Silva foi apontada como babá na casa de Thaíse Guedes. Os atos do diretor de Administração de Pessoal da ALE, Darlan Cavalcante das Neves não citam a madrinha política dos nomeados. E, com a exceção da nomeação de Rosimeire do Nascimento Azevedo, todos os atos foram revogados hoje. Em nota, a Mesa Diretora do Legislativo de Alagoas comunicou que, para efeito de nomeação, é de inteira responsabilidade dos parlamentares a indicação de seus auxiliares de gabinete. E considerou positivo o controle social dos atos praticados pela administração pública. Escândalos recorrentes Em outubro de 2017, a deputada  Thaise Guedes foi a primeira parlamentar alagoana indiciada pela PF no âmbito da Operação Sururugate, deflagrada em março daquele ano para investigar o rombo de R$ 150 milhões dos cofres do Legislativo de Alagoas. E quando deixava a Superintendência da PF em Maceió (AL), seus assessores agrediram uma equipe de reportagem da TV Gazeta, afiliada à Rede Globo. De acordo com o então superintendente da PF em Alagoas, delegado Bernardo Gonçalves, a deputada foi indiciada pela prática de 25 vezes o crime de peculato, envolvendo o desvio de mais de R$ 220 mil de recursos públicos. As investigações constataram a participação da deputada Thaise Guedes no esquema de desvio de recursos públicos por meio do pagamento de salários a funcionários fantasmas da Assembleia. A parlamentar ganhou fama nacional em reportagem do Fantástico, em 2015, flagrada pelo Ministério Público Estadual usando documentos de duas lavadeiras para desviar recursos da ALE. “Identificou-se uma servidora, por exemplo, que recebia Bolsa Família, porque realmente era pobre, e nunca recebeu esses salários. Foram aproximadamente R$ 140 mil em 13 meses. Ela sequer tinha conhecimento de que era servidora da Assembleia Legislativa. Essa testemunha contou que forneceu cópia de seus documentos pessoais para deputada, com o objetivo de conseguir um emprego no comércio local. Mas seus documentos foram utilizados sem o conhecimento dela, para a prática dessa fraude”, disse o ex-superintendente da PF, em entrevista ao vivo à TV Gazeta. Além do desvio de recursos usando documentos de pessoas que tentavam conseguir emprego, a PF disse ter provas de que a deputada tinha dois servidores vinculados ao seu gabinete, recebendo salários superiores aos valores efetivamente pagos. Nesse caso, a diferença foi de R$ 80 mil. A deputada estadual Thaise Guedes comoveu Alagoas e o Brasil durante a adolescência, após ter tido pernas e braços amputados quando foi vítima de um erro médico no diagnóstico da meningite meningocócica tipo C. A tragédia familiar que a obrigou a viver em uma cadeira de rodas, desde os 13 anos de idade, foi a mesma que deu origem a uma denúncia recebida pela Gazeta de Alagoas, em 2012. Naquele ano, a Previdência Social bloqueou um benefício social pago ilegalmente à deputada durante pelo menos quatro anos, quando ela passou a receber, como vereadora de Maceió, salário acima do limite previsto pela legislação. O valor estimado à época como recebido ilegalmente da Previdência pela era deputada era de R$ 15 mil, que seria cobrado à deputada pela União. O Diário do Poder não obteve respostas para as tentativas de contato com a deputada.
Mais Alagoas
18/01/2019

Francisco Maia eleito para exercer em definitivo a presidência da Fecomércio-DF

Sucessão na Fecomércio-DF

Francisco Maia eleito para exercer em definitivo a presidência da Fecomércio-DF

Decisão foi do conselho de representantes por 16 votos a 10

Em reunião extraordinária realizada nesta sexta-feira (18), às 18h30, o Conselho de Representantes da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal decidiu, por 16 votos a 10, manter o empresário Francisco Maia no cargo de presidente da Fecomércio-DF durante toda a gestão atual, que vai até julho de 2022. Com a renúncia de Adelmir Santana, foi necessário convocar os conselheiros para cumprir os procedimentos de substituição previstos pela entidade. Seguindo o que determina o Estatuto, a maioria do Conselho entendeu que a Diretoria em exercício já havia sido eleita, em maio do ano passado, para cumprir um mandato de quatro anos, não sendo necessária nova eleição. Dessa forma, os cargos vagos serão ocupados conforme a escala hierárquica de sucessão. “Darei aos conselheiros, diretores e colaboradores do Sistema Fecomércio-DF todo o meu empenho e dedicação. Todos terão espaço nesse mandato, prioritariamente os sindicatos”, afirmou o presidente Francisco Maia. “Trabalharei fortemente em defesa dos setores de comércio, serviços e turismo. Vamos renovar, equilibrar e fortalecer a Fecomércio-DF, sempre lutando por Brasília e pelo seu desenvolvimento”, completou. Como presidente do Sistema Fecomércio no Distrito Federal, automaticamente Francisco Maia também passa a ser presidente dos conselhos regionais do Sesc e do Senac, além de presidente do Instituto Fecomércio. Com a decisão do Conselho de Representantes, a primeira, segunda e terceira vice-presidências terão como titulares, respectivamente, os empresários Edson de Castro, Antônio Tadeu Peron e Alexandre Augusto Bitencourt. O empresário Álvaro Silveira Júnior passa a ocupar a lista dos dez vice-presidentes gerais e Cristiane Carvalho Mendes se torna uma das diretoras adjuntas. A Fecomércio-DF é considerada a principal entidade representativa dos setores de comércio, serviços e turismo em Brasília. Possui 26 sindicatos filiados e dois associados, que, juntos, representam mais de 90 mil empresas responsáveis por 93% do PIB privado do DF. Maranhense que optou por Brasília Nascido em Teresina (PI), Francisco Maia Farias foi criado em São Luís (MA) até os 13 anos, quando se mudou para Brasília em 1963 e adotou a cidade para viver. Formado em jornalismo pela Universidade de Brasília (UnB), trabalhou nos principais veículos de comunicação da cidade durante a década de 70, tendo passado por Correio Braziliense, Jornal de Brasília, Rádio Nacional e Diário de Brasília, até virar empresário e montar seu próprio negócio na área de comunicação social. Foi pioneiro no segmento de produtoras de vídeo e, posteriormente, virou empreendedor no setor de eventos e hotelaria. Casado há 44 anos com sua esposa Solange Pinheiro Farias, tem três filhos e seis netos. Há 21 anos, Francisco Maia também faz parte da Diretoria da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF), tendo se tornado o atual presidente da entidade, e há oitos anos é o presidente do Sindicato das Empresas de Promoção de Eventos do DF (Sindeventos), também foi vice-presidente no Sindicato das Empresas de Turismo do Distrito Federal (Sindetur-DF) por quatro anos e é o atual presidente da Câmara de Turismo e Hospitalidade da Federação. Seu mandato como presidente do Sistema Fecomércio-DF (Fecomércio, Sesc, Senac e Instituto Fecomércio) vai até julho de 2022.
18/01/2019

Conselho de Representantes decide manter Francisco Maia como presidente da Fecomércio-DF

Conselho de Representantes decide manter Francisco Maia como presidente da Fecomércio-DF

Seu mandato como presidente do Sistema Fecomércio-DF vai até julho de 2022

Em reunião extraordinária nesta sexta-feira (18), o Conselho de Representantes da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal decidiu, por 16 votos a 10, manter o empresário Francisco Maia no cargo de presidente da Fecomércio-DF durante toda a gestão atual, que vai até julho de 2022. Após a renúncia de Adelmir Santana, foi necessário convocar os conselheiros para cumprir os procedimentos de substituição previstos pela entidade. Seguindo o que determina o Estatuto, a maioria do Conselho entendeu que a Diretoria em exercício já havia sido eleita, em maio do ano passado, para cumprir um mandato de quatro anos, não sendo necessária nova eleição. Dessa forma, os cargos vagos serão ocupados conforme a escala hierárquica de sucessão. “Darei aos conselheiros, diretores e colaboradores do Sistema Fecomércio-DF todo o meu empenho e dedicação. Todos terão espaço nesse mandato, prioritariamente os sindicatos”, afirmou o presidente Francisco Maia. “Trabalharei fortemente em defesa dos setores de comércio, serviços e turismo. Vamos renovar, equilibrar e fortalecer a Fecomércio-DF, sempre lutando por Brasília e pelo seu desenvolvimento”, completou. Como presidente do Sistema Fecomércio no Distrito Federal, automaticamente Francisco Maia também passa a ser presidente dos conselhos regionais do Sesc e do Senac, além de presidente do Instituto Fecomércio. Com a decisão do Conselho de Representantes, a primeira, segunda e terceira vice-presidências terão como titulares, respectivamente, os empresários Edson de Castro, Antônio Tadeu Peron e Alexandre Augusto Bitencourt. O empresário Álvaro Silveira Júnior passa a ocupar a lista dos dez vice-presidentes gerais e Cristiane Carvalho Mendes se torna uma das diretoras adjuntas. A Fecomércio-DF é considerada a principal entidade representativa dos setores de comércio, serviços e turismo em Brasília. Possui 26 sindicatos filiados e dois associados, que, juntos, representam mais de 90 mil empresas responsáveis por 93% do PIB privado do DF. Biografia Francisco Maia Nascido em Teresina (PI), Francisco Maia Farias foi criado em São Luís (MA) até os 13 anos, quando se mudou para Brasília em 1963 e adotou a cidade para viver. Formado em jornalismo pela Universidade de Brasília (UnB), trabalhou nos principais veículos de comunicação da cidade durante a década de 70, tendo passado por Correio Braziliense, Jornal de Brasília, Rádio Nacional e Diário de Brasília, até virar empresário e montar seu próprio negócio na área de comunicação social. Foi pioneiro no segmento de produtoras de vídeo e, posteriormente, virou empreendedor no setor de eventos e hotelaria. Casado há 44 anos com sua esposa Solange Pinheiro Farias, tem três filhos e seis netos. Há 21 anos, Francisco Maia também faz parte da Diretoria da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF), tendo se tornado o atual presidente da entidade, e há oitos anos é o presidente do Sindicato das Empresas de Promoção de Eventos do DF (Sindeventos), também foi vice-presidente no Sindicato das Empresas de Turismo do Distrito Federal (Sindetur-DF) por quatro anos e é o atual presidente da Câmara de Turismo e Hospitalidade da Federação.
18/01/2019

Ibaneis garante que vai ‘entrar com ação’ contra cada distrital, por mortes na saúde pública

Governo do DF

Ibaneis garante que vai ‘entrar com ação’ contra cada distrital, por mortes na saúde pública

O governador deseja que o projeto de lei emergencial da área da saúde seja votado na próxima semana

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha,  foi muito claro, nesta sexta-feira (18), ao avisar que vai responsabilizar os distritais, caso não ocorra a sessão extraordinária na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), na próxima semana. “Em meses, várias pessoas vão morrer. Eles escolhem o que eles querem. A partir daí, eu vou entrar com uma ação contra cada um (deputado) pela morte de cada cidadão.” Em sua conta no Twitter, Ibaneis comentou que não aguenta mais o “caos na saúde”. “Há críticas de que um projeto desse porte precisaria de meses para ser discutido. Mas em meses várias pessoas vão morrer. Eu estou cansado de ver as pessoas contando historias de morte por falta de atendimento”. Ibaneis falou sobre “enfrentamento” com o Poder Legislativo caso não seja analisado  e votado o projeto de lei emergencial sobre a saúde pública, na próxima terça-feira (22) ou quarta-feira (23), dez dias antes do fim do recesso. “Ou dão os instrumentos para que o governo consiga fazer ou então vamos ter um enfrentamento grave”. O texto que busca melhoras na saúde pública, prevê que as Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs), o Samu e os hospitais regionais passem a ser geridos pelo Instituto Hospital de Base, que começaria a se chamar Organização Hospitalar do DF. A ideia é que a Secretaria de Saúde fique com a responsabilidade da gerência das menores unidades de saúde, como os postos de saúde e os Centros de Atenção Psicossocial (CAPs). Ibaneis também falou que vai “suspender nomeações” para cargos comissionados até que todos os projetos sejam analisados pela Casa. A liberação para as convocações de pessoal para as administrações será assinada hoje, “dos técnicos que precisam para funcionar”. “A partir de agora, está suspensa qualquer nomeação, salvo com justificativa fundamentada do dirigente da pasta”. Na quinta (17), Ibaneis enviou à CLDF um pacote com projetos emergenciais para serem analisado,  antes do fim do recesso, no dia 1º de fevereiro.  No mesmo dia, convocou a base aliada para tratar da mobilização dos deputados distritais para a convocação de emergência.
18/01/2019

Governador do DF faz reunião para “alinhar e unir” secretários e administradores

Foco na sociedade

Governador do DF faz reunião para “alinhar e unir” secretários e administradores

Ibaneis pretende a cada dois meses fazer essas reuniões, para analisar metas e definir projetos

Com “objetivo de colocar um pensamento único de governo” Ibaneis Rocha fechou a semana reunindo seus secretários e administradores, para ressaltar que é preciso “estar sempre de portas abertas para a sociedade”, e trabalhar para atender suas demandas, afirmou o governador do Distrito Federal, nesta sexta-feira (18). Ibaneis afirmou que na política antiga, cada secretaria e cada administração do DF tinham um dono, e destacou que elas não se comunicavam. “o Estado agora é um Estado único, não existem feudos”. Durante a reunião, Ibaneis procurou expressar seus objetivos para os próximos meses de governo. “Eu passei por todas as áreas, dizendo como eu quero o governo, a questão do combate à corrupção, a organização dos métodos de gestão, e sobre a prestação de serviços a sociedade”. O governador ressaltou que os servidores públicos, “aqueles que estão na ponta” são o “rosto do GDF” e por isso é necessário trabalhar sempre colocando a sociedade em primeiro lugar. Mais uma vez, Ibaneis lembrou  a necessidade de atender e respeitar a sociedade, e salientou o desejo que os ambientes nas administrações e secretarias sejam sempre acolhedores. “Eu passei uma mensagem muito clara”. Ficou estipulado que a cada dois meses, ocorrerão reuniões como essa, para analisar, e alinhar as próximas medidas e ações do Governo do Distrito Federal.
Mais Distrito Federal
01/01/2019

Romeu Zema toma posse em Minas como primeiro governador do partido Novo

'Povo quer mudança'

Romeu Zema toma posse em Minas como primeiro governador do partido Novo

Em discurso, o novo governador disse que o povo mineiro quer uma "mudança de cultura"

A cerimônia de posse de Romeu Zema como governador de Minas Gerais começou por volta das 09h e pela primeira vez ocorrre na Assembleia Legislativa. Primeiro governador eleito pelo partido Novo, Zema fez juramento de cumprir a Constituição Federal e do Estado de Minas Gerais, depois assinou o termo de posse e fez um pequeno discurso dizendo que o povo “não manda recado” nas eleições, mas “decide”. “O povo mineiro demonstrou um desejo de mudança de cultura”, disse. Após a cerimônia na ALMG, Zema, e o vice-governador, Paulo Brant, seguem para o Palácio Tiradentes. Lá, está previsto um discurso do novo governador ao público em evento aberto. A estimativa é que cerca de quatro mil pessoas acompanhem a primeira aparição pública de Zema como governador. Zema tem 54 anos, nasceu em Araxá e tem dois filhos. Empresário formado em Administração de Empresas, o governador começou a trabalhar cedo e já foi cobrador, frentista, balconista, estoquista, caixa, comprador, vendedor, analista de marketing, analista comercial e gerente.
29/12/2018

Assembleias estaduais torram R$ 12,4 milhões por ano com auxílio-moradia de deputados

Dinheiro público

Assembleias estaduais torram R$ 12,4 milhões por ano com auxílio-moradia de deputados

Tal como juízes, a grana também vai para o bolso dos deputados com casa na cidade de trabalho

Presidente da Assembleia Legislativa da Bahia entre 2007 e 2016, o deputado estadual Marcelo Nilo (PSB) é dono de cinco apartamentos em Salvador e mora no Horto Florestal, um dos metros quadrados mais caros da cidade. Seu sucessor no comando do Legislativo, o deputado estadual Angelo Coronel(PSD), é dono de uma casa avaliada em R$ 4 milhões em Stella Maris, uma das praias mais badaladas da capital baiana. Adversários na política, os dois deputados estão afinados em relação a benefícios pagos pela Assembleia: ambos, assim como os outros 61 deputados estaduais da Bahia, recebem R$ 4.028 por mês de auxílio-moradia. A situação se replica em outros estados. Ao todo, 9 das 26 Assembleias estaduais pagam benefícios para bancar a moradia de deputados, num custo anual de R$ 12,4 milhões. O auxílio-moradia deve ser mantido na próxima legislatura a despeito de as Assembleias serem beneficiadas pelo efeito-cascata do reajuste concedido ao Poder Judiciário, cujo teto chegou a R$ 39 mil. O mesmo deve acontecer na Câmara dos Deputados, que prevê auxílio-moradia de R$ 4.253 para os deputados que não ocupam apartamentos funcionais, no Senado, que prevê a restituição de até R$5.500 mensais para gastos com moradia em Brasília. Além da Bahia, os estados de Minas Gerais, Santa Catarina, Goiás, Rondônia e Tocantins preveem o pagamento de auxílio-moradia para todos os deputados,independente de eles serem donos de imóveis. Já Rio de Janeiro, Amazonas e São Paulo concedem o benefício, mas com restrições. A Bahia é o estado que mais gasta com o auxílio-moradia de deputados estaduais, com despesa anual de R$ 3 milhões. O benefício deve ser mantido na próxima legislatura mesmo diante do agravamento da situação financeira. As dificuldades serviram como justificativa para aprovação, sob forte protesto dos servidores baianos, de um pacote de austeridade que incluiu extinção e privatização de estatais, além do aumento da alíquota da Previdência paga pelos funcionários. Na contramão do corte de gastos, a própria Assembleia Legislativa pediu uma suplementação de R$ 80 milhões no orçamento este ano. Presidente da Assembleia da Bahia, Coronel,que se elegeu senador em outubro, afirma que o benefício foi instituído no estado há mais de duas décadas e é importante para os deputados que vivem no interior. “É claro que enfrentamos um momento difícil da economia. Acredito que, se os deputados assim quiserem, a Assembleia pode seguir a tendência nacional e extinguir o benefício na próxima gestão”, afirma Coronel. Em Minas, um dos estados em pior situação fiscal do país,o benefício de R$ 4.337 gera custo anual de R$ 2,1 milhões para a Assembleia. Até 2015, o estado pagava o benefício apenas para os deputados que não moravam na região metropolitana de Belo Horizonte. Mas uma lei aprovada no início da atual legislatura estendeu o benefício para todos os deputados que o pleiteassem. Em Santa Catarina,o gasto anual também chega a R$ 2,1 milhões. Dos 40 deputados estaduais, apenas Padre Pedro Baldisserqa (PT) abriu mão do auxílio-moradia mensal de R$ 4.377. Já a Assembleia Legislativa de Rondônia é a que paga maior benefício mensal: são R$ 5.000 por mês para cada um dos 24 deputados estaduais, num custo anual de R$ 1,44 milhão. Dois deles -Aélcio da TV (PP) e Léo Moraes (Podemos)- destinam o montante para entidades beneficentes. Em São Paulo, Amazonas e Rio de Janeiro, recebem benefícios apenas os deputados estaduais que vivem no interior e que não possuem imóvel próprio nas respectivas capitais de seus estados. No Rio, apenas 11 dos 70 deputados recebem o benefício mensal de R$ 3.189. Já no Amazonas, nenhum dos 24 deputados da atual legislatura teve direito ao auxílio moradia -todos os deputados com base eleitoral no interior têm imóveis próprios em Manaus. Em São Paulo, o auxílio-moradia foi substituído em 2013 pelo auxílio-hospedagem de R$ 2.850, que também só é concedido para deputados com base fora da região metropolitana e que não tenham imóveis na capital. Ao contrário do auxílio-moradia, o auxílio-hospedagem demanda que o deputado estadual apresente notas fiscais de gastos com aluguel de imóveis ou diárias de hotéis. Outros estados extinguiram o benefício nos últimos anos, na esteira de medidas de enfrentamento da atual crise fiscal dos estados. É o caso do Maranhão, que acabou com o auxílio-moradia para deputados em fevereiro deste ano, gerando uma economia de R$ 1,5 milhão por ano. (Folhapress)
20/12/2018

Defesa se diz surpresa e indignada com busca na casa da mãe de Aécio

Operação Ross

Defesa se diz surpresa e indignada com busca na casa da mãe de Aécio

O advogado Alberto Toron disse que a busca teria sido motivada por uma “denúncia anônima” por ocultação de provas

A defesa do senador Aécio Neves (PSDB-MG) disse nesta quinta-feira (20) que recebeu com “surpresa e indignação” a notícia de busca na residência da mãe do senador, Inês Maria Neves Cunha, “seja pela completa desnecessidade e descabimento da medida, seja pela total desvinculação de sua mãe com os fatos apurados”. Em nota à imprensa, o advogado Alberto Toron disse que a busca teria sido motivada por uma “denúncia anônima” de que o imóvel teria recebido caixas com documentos no dia da Operação Ross e que esse relato é mentiroso. “É lamentável que a intimidade de uma senhora seja afrontada dessa forma, sem que haja nada que justifique”, protestou Toron. Toron ressaltou que Aécio Neves sempre esteve à disposição de todas as autoridades e que o senador é o maior interessado na elucidação dos fatos. Disse ainda que o político aguarda a finalização célere das investigações para que fiquem provadas que as acusações são falsas. Operação Ross Hoje (20), a Polícia Federal cumpriu três mandados de busca e apreensão em endereços ligados à família do senador tucano. Além das casas da mãe de Aécio, e de seu primo Frederico Pacheco, também foram feitas buscas em uma empresa de comunicação, que seria de Pacheco em sociedade com a jornalista Andrea Neves, irmã de Aécio. Esta é segunda fase da Operação Ross, que investiga suposta propina do Grupo J&F a Aécio entre 2007 e 2014. Os mandados foram expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), após solicitação da Polícia Federal. A primeira fase da operação, deflagrada no dia 11 de dezembro, fez buscas em endereços ligados ao senador, à Andréa Neves e ao deputado federal Paulinho da Força (SD-SP). (ABr)
25/11/2018

Enade: exame começa no país; candidatos têm 4 horas para fazer a prova

Qualidade da educação

Enade: exame começa no país; candidatos têm 4 horas para fazer a prova

Ao todo 550 mil estudantes de 27 áreas farão a prova que avalia a qualidade dos cursos

O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) começou às 13h30 (horário de Brasília) deste domingo (25). Os portões dos 1.585 locais de aplicação da prova foram fechados às 13h em todas as unidades da Federação. No país, 550 mil estudantes de cursos de 27 áreas do conhecimento farão o Enade. A prova é voltada para alunos que estão concluindo cursos de graduação. O exame é obrigatório e a situação de regularidade do estudante no exame deve constar em seu histórico escolar. O Enade é o principal componente para o cálculo dos indicadores de qualidade dos cursos e das instituições de ensino superior. A cada ano, o exame avalia um grupo diferente de cursos superiores. A avaliação se repete a cada três anos. Os candidatos terão quatro horas para resolver 40 questões. A prova do Enade é composta por itens de Formação Geral, comum aos cursos de todas as áreas, e de Componente Específico. Em Formação Geral são 10 questões, sendo duas discursivas e oito de múltipla escolha, envolvendo situações-problema e estudos de casos. A de Componente Específico tem 30 questões, sendo três discursivas e 2 de múltipla escolha, com situações-problema e estudo de casos. Brasília Em Brasília, os 14.745 inscritos enfrentam um dia chuvoso para a realização da prova. Para o aluno de Bacharelado em Teologia Reginaldo Azevedo, de 65 anos, o Enade contribui para o aperfeiçoamento do ensino superior no país. Ele disse que o exame é a “coroação” final do seu esforço no curso que durou quatro anos. “Teologia foi um chamado na minha vida. Foi um presente que eu me dei e Deus me permitiu”, disse Azevedo, que tem formação em engenharia agrícola. A estudante de Gestão de Políticas Públicas da Universidade de Brasília (UnB) Mayara Leporace Haddad, de 25 anos, disse estar tranquila para a prova. “Sempre tive um bom suporte da universidade. Acho importante ter uma avaliação porque é assim que a gente pode ter melhorias no ensino superior. Tem que avaliar os cursos para ver o que pode ser mudado, melhorado”. Áreas avaliadas Grau de Bacharel: Administração; Administração Pública; Ciências Contábeis; Ciências Econômicas; Comunicação Social – Jornalismo; Comunicação Social – Publicidade e Propaganda; Design; Direito; Psicologia; Relações Internacionais; Secretariado Executivo; Serviço Social; Teologia; Turismo. Grau de Tecnólogo: Tecnologia em Comércio Exterior; Tecnologia em Design de Interiores; Tecnologia em Design de Moda; Tecnologia em Design Gráfico; Tecnologia em Gastronomia; Tecnologia em Gestão Comercial; Tecnologia em Gestão da Qualidade; Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos; Tecnologia em Gestão Financeira; Tecnologia em Gestão Pública; Tecnologia em Logística; Tecnologia em Marketing; Tecnologia em Processos Gerenciais. (ABr)
Mais Minas Gerais
18/01/2019

Bretas aceita denúncia e Pezão vira réu em processo da Lava Jato do Rio

Corrupção

Bretas aceita denúncia e Pezão vira réu em processo da Lava Jato do Rio

Ele foi denunciado ao STJ, mas caso 'desceu' para a 1ª instância

O juiz Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Criminal Federal, aceitou denúncia contra o ex-governador do Rio de Janeiro Luiz Fernando Pezão, que passa agora a ser réu em processo referente a desdobramento da Operação Lava Jato no estado. Ele foi preso em dezembro, na Operação Boca de Lobo, da Polícia Federal, que investiga o pagamento de mesada de R$ 150 mil para o ex-governador na época em que ele era vice do então governador Sérgio Cabral. Também houve, segundo a delação premiada de Carlos Miranda, operador financeiro de Cabral, pagamento de 13º de propina e ainda dois bônus de R$ 1 milhão como prêmio. Depois que Pezão perdeu o foro privilegiado, a denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) foi para a 1ª instância da Justiça Federal no Rio e foi ratificada pelo Ministério Público Federal no Rio e aceita por Bretas. Outras 14 pessoas foram indiciadas, dentre elas, o ex-secretário de Governo Affonso Henrique Monnerat.
15/01/2019

Sérgio Cabral e Jorge Picciani são denunciados por lavagem de dinheiro

Compra e venda de gado

Sérgio Cabral e Jorge Picciani são denunciados por lavagem de dinheiro

Ex-governador e presidente afastado da Assembleia do Rio teria comprado e vendido cabeça de gado para lavar dinheiro de propina

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral e o presidente afastado da Assembleia Legislativa do estado (Alerj) Jorge Picciani (MDB) foram denunciados por lavagem de dinheiro pelo Ministério Público. Segundo a denúncia do MP, Cabral recebeu R$ 1 milhão em propina da Carioca Engenharia, entre 2007 e 2014. O dinheiro teria sido usado para comprar e vender 160 cabeças de gado criados pela família de Picciani, por meio de operações superfaturadas. Em troca, Cabral teria beneficiado a empresa em licitações e contratações dentro do governo do Rio — em obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), como a construção da linha 4 do metrô. O MP pediu a condenação e o bloqueio de bens no valor de R$ 13 milhões de cada um dos denunciados. Cabral está presos desde 2016 e já foi condenado diversas vezes, com penas que somam 198 anos e seis meses de prisão. Picciani foi preso no âmbito da operação Cadeia Velha, que investiga o pagamento de propina a deputados estaduais do Rio de Janeiro por empresários do setor de transporte.
14/01/2019

Corregedor nega que tuíte do juiz Bretas tenha violado norma do CNJ

Mera opinião

Corregedor nega que tuíte do juiz Bretas tenha violado norma do CNJ

Para Humberto Martins, manifestação não constituiu apoio partidário

O corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, disse não identificar nenhuma violação ao Provimento 71 da Corregedoria Nacional de Justiça em tuíte postado no Twitter pelo juiz federal Marcelo Bretas, que julga processos da Operaçao Lava Jato no Rio de Janeiro. Na publicação, postada no último dia 9 de janeiro, o magistrado escreveu que “alguns países estão democraticamente mudando a orientação de seus governos, de esquerda (viés mais populista) para centro-direita (viés mais técnico). Respeitemos a vontade da maioria e aguardemos o cumprimento das propostas. Críticas prematuras são claramente oportunistas”. A manifestação foi vista por alguns jornalistas como apoio político-partidário dado pelo juiz ao novo governo. Questionado pela imprensa, Humberto Martins, no entanto, disse não verificar nenhuma irregularidade na publicação que justificasse a intervenção da corregedoria. “A corregedoria atua com imparcialidade e independência sobre fatos concretos”, disse o ministro. “Ao analisar o pronunciamento do magistrado no Twitter, constatei que não há menção a nome de político ou de partido. Trata-se de uma mera opinião, em tese, inclusive no contexto do cenário mundial, não se verificando afronta ao Provimento 71 da Corregedoria”, acrescentou. Publicado em junho de 2018, o Provimento 71 da Corregedoria Nacional de Justiça dispõe, entre outros pontos, que o magistrado deve agir com reserva, cautela e discrição ao publicar seus pontos de vista nas redes sociais. Também orienta que é vedado aos membros da magistratura a participação em situações que evidenciem apoio público a candidato ou a partido político.
14/01/2019

Helicóptero da Polícia Militar do Rio de Janeiro cai na Baía de Guanabara

Acidente

Helicóptero da Polícia Militar do Rio de Janeiro cai na Baía de Guanabara

Quatro pessoas estavam dentro da aeronave: uma está em estado grave, duas estão fora de risco e não há informações sobre o quarto tripulante

Um helicóptero do Grupamento Aeromóvel da Polícia Militar do Rio de Janeiro caiu na manhã desta segunda (14) nas águas da Baía de Guanabara, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro. Segundo a Polícia Militar, havia quatro tripulantes a bordo da aeronave durante o acidente. Os bombeiros informaram que o helicóptero caiu nas proximidades da Cidade Universitária. Homens do quartel da Ilha do Fundão estão trabalhando no resgate das vítimas. Segundo o Corpo de Bombeiros, uma vítima foi resgatada em estado grave e teve que passar por procedimento de reanimação. Não há informações sobre se ele sobreviveu ou não. Dois tripulantes passaram por avaliação médica no local, mas estão fora de risco. Uma quarta vítima foi resgatada por pessoas que passavam pelo local e não há informação sobre o estado de saúde dela. A aeronave Fênix 08 do Grupamento Aeromóvel (GAM) reforçava o patrulhamento da Linha Vermelha, principal via de ligação entre a Baixada Fluminense e o centro da capital. Ainda não se sabe o motivo da queda. A aeronave, de acordo com a corporação, estava com manutenção regularizada. (ABr)
Mais Rio de Janeiro
18/01/2019

Doria vai privatizar novos presídios do estado de SP e linhas da CPTM

PPP

Doria vai privatizar novos presídios do estado de SP e linhas da CPTM

Modelo de PPP será adotado em quatro novas penitenciárias que já estão em fase de obras

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta sexta-feira, 18, que vai lançar uma Parceria Público-Privada (PPP) para a operação de quatro dos 12 presídios em construção no Estado. Os editais devem ser lançados este ano. Outros três complexos penitenciários que estão previstos também devem entrar no modelo. As unidades que serão privatizadas não foram informadas. Os outros oito em construção já têm servidores contratados para cuidar dos presos. A proposta não precisa passar pela Assembleia Legislativa e teria como foco a oferta de serviços de ressocialização, como cursos profissionalizantes, educacionais e ofertas de trabalho em fábricas no interior das cadeias. Segundo Doria, o modelo PPP a ser adotado tem como referências o presídio da cidade de Ribeirão das Neves, em Minas Gerais, e também o sistema norte-americano. Estão previstas viagens de secretários tanto para Minas quanto para os EUA para reuniões de avaliações de formatos. “Nós basearemos a gestão em critérios de qualidade, melhorando as condições do apenado, oferecendo parque fabril interno capaz de ressocializar o apenado com trabalho”, afirmou o secretário de Administração Penitenciária, coronel Nivaldo Restivo. O secretário de Governo, Rodrigo Garcia, explicou que os presos que devem ocupar esses novos presídios serão de baixa periculosidade, para evitar que as cadeiras privadas também sejam dominadas por facções criminosas, como ocorre no restante do sistema. “Se a gente está falando de presídios onde o preso vai trabalhar, estamos falando de presos de baixa periculosidade, de presos caminhando para o regime semi-aberto, então, o presídio tem que estar preparado para oferecer a reinserção social desse preso que logo, logo volta para a sociedade”, afirmou. CPTM Segundo Garcia, além da privatização dos presídios, o Estado iniciou estudos da mesma natureza para as linhas de trem da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). O governo Doria está fazendo uma avaliação da rede elétrica da zona leste da cidade, nas Linhas 11-Coral e 12-Safira. A ideia é que, nos próximos meses, seja extinta a necessidade de baldeação na Estação Guaianases. Após isso, serão feitos estudos para que a operação de linhas da empresa sejam alvo de PPP. (ABr)
18/01/2019

Incêndio atinge Instituto do Coração em São Paulo

Fogo controlado

Incêndio atinge Instituto do Coração em São Paulo

Segundo hospital, fogo atingiu dutos de refrigeração em área externa e não houve feridos

Um incêndio atingiu o Instituto do Coração (Incor) na manhã desta sexta-feira, 18. Ligado ao Hospital das Clínicas, o Incor fica próximo à Avenida Paulista. De acordo com a assessoria do hospital, o fogo começou em uma torre de resfriamento externa ao prédio. As chamas duraram apenas 10 minutos, sendo controladas pela própria brigada de incêndio da instituição. Entretanto, devido a fumaça, parte dos pacientes teve que ser remanejada. Inicialmente, quatro viaturas foram enviadas para o local. Momentos depois da abertura do chamado, feito às 10h47, foram enviados ao menos outros 14 carros.
15/01/2019

Justiça aceita denúncia contra acusados de fraudar aposentadoria em SP

Operação Barbour

Justiça aceita denúncia contra acusados de fraudar aposentadoria em SP

Vereadora de Santo André foi apontada como chefe de esquema

A Justiça Federal aceitou a denúncia contra quatro acusados de fazer parte de um esquema de fraudes no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) na Grande São Paulo. A denúncia foi oferecida pelo Ministério Público Federal (MPF) a partir de investigações da Operação Barbour, que prendeu quatro pessoas em novembro último. Entre os presos na ocasião, estava a vereadora Elian Santana (SD), de Santo André (SP). O MPF afirma que as negociações para conceder os benefícios irregulares eram feitos dentro do gabinete da parlamentar. Segundo a promotoria, a Justiça aguarda a manifestação de Santana e de outro acusado em relação ao processo, por isso, eles ainda não foram incluídos como réus. Em nota divulgada pelas redes sociais, a vereadora afirma ser inocente. “Não sou líder de nenhuma quadrilha, não me atrelei a pessoas fraudulentas e não desviei nenhum centavo do erário público”, disse. Aposentadorias antecipadas As investigações apontam que, em pouco mais de um ano, entre 2017 e 2018, foram liberadas centenas de aposentadorias fraudulentas. Até agora, o MPF diz ter identificado 26 desses benefícios que geraram pagamentos de R$ 715,5 mil. As fraudes eram feitas a partir de uma agência do INSS em Diadema, também na região metropolitana. O grupo aliciava pessoas interessadas em serviços de assessoria previdenciária com a promessa de acelerar a aposentadoria. A maioria dos que se beneficiaram do esquema era composta por bancários. Os interessados pagavam entre R$ 8 mil e R$ 15 mil. Um servidor do INSS que também integrava a quadrilha inseria informações falsas de periculosidade ou insalubridade nos cadastros, reduzindo o tempo de contribuição necessário. Entre os que se tornaram réus no processo estão dois clientes do esquema, bancários que conseguiram aposentadorias antecipadas de R$ 3 mil e R$ 3,5 mil. O MPF pretende denunciar outros beneficiários. (ABr)
11/01/2019

Presos pintarão 5.500 escolas públicas em SP, afirma Doria

Programa de capacitação

Presos pintarão 5.500 escolas públicas em SP, afirma Doria

Eles vão trabalhar em períodos de férias e nos finais de semana

Presos de São Paulo vão pintar cerca de 5.500 escolas estaduais. O trabalho foi anunciado pelo governador João Doria (PSDB), nesta sexta-feira, 8 e faz parte da ampliação de um programa que capacita presos do regime semiaberto para trabalhar na pintura de prédios públicos no estado. De acordo com a equipe de Doria, o serviço será feito nos períodos de férias escolares e nos finais de semana — dessa maneira, os detentos não terão contato com os estudantes.  ​ Só participarão do projeto os presos interessados e serão abertas 8.000 vagas. Quem participar, terá redução de pena ao incluir esses dias de trabalho. São Paulo tem 225.874 presos, dos quais 39.347 estão em regime semiaberto. “Vamos cadastrar os municípios interessados”, diz o secretário da Administração Penitenciária, Nivaldo Restivo, que é coronel e ex-comandante da Polícia Militar. O transporte dos presos ficará por conta das cidades interessadas, mas a fiscalização do trabalho deles será feito pelo estado.
11/01/2019

Fortes chuvas de ontem ainda atrasam voos previstos para Congonhas

São Paulo

Fortes chuvas de ontem ainda atrasam voos previstos para Congonhas

Dos 92 voos programados para pousar e decolar do terminal a partir das 6h de hoje, seis foram cancelados e 11 sofreram atrasos

Depois das fortes chuvas que atingiram São Paulo na noite de ontem (10), o Aeroporto de Congonhas segue com voos atrasados. Dos 92 voos programados para pousar e decolar do terminal a partir das 6h de hoje (11), seis foram cancelados e 11 sofreram atrasos. O terminal ficou fechado entre 21h15 e 22h de ontem. Segundo a Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), nesse período 25 voos foram cancelados e 14 alternados para outros aeroportos. O terminal funciona das 6h às 23h. A capital paulista ficou em estado de atenção para alagamentos em vários locais. Foram registrados sete pontos de alagamento, dos quais três transitáveis e quatro intransitáveis. Segundo Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), a Zona Leste foi a região menos atingida na capital. Durante a madrugada, o CGE registrou que o céu seguia nublado, mas sem registro de chuva na cidade, com as temperaturas oscilando em torno dos 21ºC, sem expectativa de chuva forte para as horas seguintes. No momento, a cidade está em estado de observação, mas não são registrados pontos de alagamento. Hoje, o dia começou com sol entre nuvens e os termômetros na casa dos 20°C, com expectativa de mais um dia de muito calor em São Paulo. As temperaturas estão em elevação rápida e a máxima deve chegar aos 33°C nas horas mais quentes. As taxas de umidade do ar um pouco mais elevadas causam sensação de tempo abafado ao longo do dia, variando entre 50% e 95%. Granizo Segundo o CGE, a combinação de calor e entrada da brisa marítima favorece a formação de nuvens carregadas que provocam chuva em forma de pancadas isoladas com forte intensidade e potencial para rajadas de vento. É possível ainda que caia granizo. De acordo com o CGE, a massa de ar quente e úmido continua atuando sobre o estado de São Paulo e assim o sol predomina na maior parte do dia, com chuvas ocorrendo entre a tarde e a noite. “As precipitações terão forte intensidade e potencial para rajadas de vento e eventualmente queda de granizo, condição bastante normal para a época do ano. Portanto, as condições do tempo durante os eventos chuvosos são favoráveis para a formação de alagamentos, bem como transbordamentos de rios e córregos”, informou o CGE. Mais chuvas no fim de semana A previsão para o sábado (12) deve ser uma repetição dos dias anteriores, com sol na parte da manhã e pancadas isoladas de chuva entre a tarde e o início da noite. A temperatura oscilará entre mínima de 21°C durante a madrugada e máxima de 31°C à tarde, com percentuais de umidade do ar entre 52% e 95%. O domingo (13) também terá forte calor  e madrugada com poucas nuvens e termômetros em torno dos 21°C. A máxima prevista é de 32°C. (ABr)
10/01/2019

Em Davos, Bolsonaro defenderá agronegócio, indústria, ciência e tecnologia

Reunião com Doria

Em Davos, Bolsonaro defenderá agronegócio, indústria, ciência e tecnologia

O presidente se reuniu nesta quinta-feira com Doria; decreto sobre armas deve sair amanhã, segundo o governador

O presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto, fará sua estreia internacional no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, que será realizado de 22 a 25 deste mês com representantes do G20, que engloba as maiores economias mundiais, e convidados estrangeiros. Segundo o governador de São Paulo, João Doria, que se reuniu nesta quinta-feira, 10, com Bolsonaro, o presidente vai apresentar as oportunidades de investimento no Brasil nos setores do agronegócio, da indústria, comércio, serviços, ciência, tecnologia e empreendedorismo. “É um grande palco para a apresentação do novo Brasil. O Brasil que acredita numa economia liberal, transformadora, que gera empregos e oportunidades”,disse Doria. No total, líderes de cerca de cem países estarão presentes. Reforma da Previdência Na reunião com Bolsonaro, Doria reafirmou seu apoio à proposta de reforma da Previdência que será enviada pelo governo ao Congresso Nacional. Segundo ele, a bancada paulista do PSDB votará favoravelmente à proposta. Para o tucano, a aprovação da reforma previdenciária terá “efeito transformador” no país, “permitindo que o crescimento possa saltar dos 3% hoje previstos para 5%”. Segundo o governador, a reforma vai atrair investimentos internacionais e aumentar a geração de emprego e renda. Perguntado, Doria disse ser favorável ao regime de capitalização proposto pela equipe econômica, no qual cada trabalhador faz sua poupança individual para a aposentadoria. Decreto sobre armas Doria disse que é favorável à flexibilização da posse de armas e, questionado pelos jornalistas, disse que o decreto sobre a questão deve ser assinado amanhã pelo presidente Jair Bolsonaro.  (ABr)
Mais São Paulo