Pesquisa Datafolha

Pâmela Maria

Candidato do MDB abre 8 pontos em relação à adversária do Pros
28/09/2018

Ibaneis ultrapassa Eliana Pedrosa, abre e lidera disputa pelo governo do DF

Pesquisa Datafolha

Ibaneis ultrapassa Eliana Pedrosa, abre e lidera disputa pelo governo do DF

Candidato do MDB abre 8 pontos em relação à adversária do Pros

A pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (28) confirma o crescimento dcandidato do MDB ao governo do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, que agora assumiu a liderança isolada das intenções de voto, com 24%. Ele ultrapassou Eliana Pedrosa (Pros) e abriu oito pontos percentuais de vantagem. Ela agora está em segundo, com 16%. Em terceiro aparece o atual governador Rodrigo Rollemberg (PSB), estacionado nos 12%, seguido de Alberto Fraga (DEM), que tinha 14% no levantamento do último dia 20 e agora caiu para 10% das intenções de voto. Rogério Rosso (PSD), que tinha 11%, agora soma apenas 8%, em quinto lugar. Ibaneis (MDB): 24% Eliana Pedrosa (Pros.): 16% Rodrigo Rollemberg (PSB): 12% Alberto Fraga (DEM): 10% Rogério Rosso (PSD): 8% General  Paulo Chagas (PRP): 4% Alexandre Guerra (Novo): 3% Miragaya (PT): 3% Fátima Sousa (PSOL): 2% Renan Rosa (PCO): 0% Guillen (PSTU): 0% Brancos/nulos: 13% Não sabe: 5% Eliana Pedrosa e Rodrigo Rollemberg estão tecnicamente empatados. Rosso, Fraga e Rollemberg seguem também tecnicamente empatados. Fraga e Eliana igualam na margem de erro. Na pesquisa anterior, entre os dias 18 e 19 de setembro, os indicativos de intenções de voto eram: Eliana Pedrosa: 20 % Alberto Fraga: 14%  Ibaneis: 13%  Rodrigo Rollemberg: 12%  Rogério Rosso: 11% General Paulo Chagas: 5% Miragaya: 3% Alexandre Guerra: 2% Fátima Sousa: 2% Renan Rosa: 0% Guillen: 0% Brancos/nulos: 14% Não sabe: 4% A pesquisa foi feita entre os dias 26 e 28 de setembro. No total 1.050 eleitores foram ouvidos, a margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. A probabilidade dos resultados retratarem o atual momento eleitoral é de 95%, considerando a margem de erro. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE): DF-03047/2018. Rejeição As taxas de rejeições também foram medidas pelo Datafolha. Rodrigo Rollemberg  (PSB): 52% Alberto Fraga (DEM): 35% Eliana Pedrosa (Pros): 34% Miragaya (PT): 26% Rogério Rosso (PSD): 26% Fátima Sousa (PSOL): 24% General Paulo Chagas (PRP): 20% Renan Rosa (PCO): 19% Alexandre Guerra (Novo): 18% Guillen (PSTU): 18% Ibaneis (MDB): 15% Votaria em qualquer um / não rejeita nenhum: 2% Rejeita todos / não votaria em nenhum: 6% Não sabe: 5% Possibilidades de segundo turno O Datafolha também fez pesquisas das intenções de voto em um provável segundo turno. Foram simulados cenários entre Eliana Pedrosa- líder unânime na pesquisa anterior – e os quatro candidatos que vinham posteriormente, tecnicamente empatados. Eliana 44% x 27% Rollemberg (branco/nulo: 27%; não sabe: 3%) Eliana 42% x 29% Fraga (branco/nulo: 26%; não sabe: 3%) Eliana 39% x 34% Rosso (branco/nulo: 24%; não sabe: 3%) Eliana 32% x 47% Ibaneis (branco/nulo: 18%; não sabe: 3%)
27/09/2018

Três estados vão receber apoio federal para ações de defesa civil

Recursos

Três estados vão receber apoio federal para ações de defesa civil

Recursos do Ministério da Integração Nacional serão investido nas cidades de Santa Catarina, Rondônia e Rio Grande do Sul

O Ministério da Integração Nacional autorizou nesta quinta (27) a liberação de R$ 4,9 milhões para ações emergenciais em Santa Catarina, Rondônia e no Rio Grande do Sul. A quantia vai custear obras preventivas e as reformas de infraestruturas públicas danificadas por desastres naturais, além do restabelecimento de sistemas de drenagem. No total de recursos, R$ 2,2 milhões serão destinados à construção de uma ponte de concreto sobre o Rio Candeias, em Buritis (RO). O auxilio federal contempla também as obras de prevenção em Quilombo (SC), no valor de R$ 1,7 milhão, e em Rancho Queimado (SC), no valor de R$ 495,9 mil. As cidades gaúchas de Candelária (RS) e Sant’Ana do Livramento (RS) receberão R$ 418,8 mil para a restauração de sistemas de drenagem e a para reconstrução de infraestruturas públicas atingidas por fortes chuvas. Os recursos da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec), do Ministério da Integração, foram aprovados após avaliação dos Planos de Trabalho enviados pelas prefeituras, que ao final dos serviços deverão prestar contas à União. O auxilio é complementar às ações dos municípios e dos estados.
26/09/2018

Prazo para pedir a segunda via do título de eleitor encerra nesta quinta

Título eleitoral

Prazo para pedir a segunda via do título de eleitor encerra nesta quinta

Em casos de cancelamento do título, o eleitor poderá regulamentar a situação a partir do dia 5 de novembro

Encerra nesta quinta (27) o prazo para solicitar a segunda via do título de eleitor. Em caso de perda do documento, a votação poderá ser feita com outro documento original com foto. Outra alternativa é pelo aplicativo E-Título que poderá ser baixado até o dia da eleição. Para utilizar é preciso informar a data de nascimento, nome, o número do título e nomes do pai e da mãe. Caso o eleitor tenha feito a revisão biométrica, a versão digital aparecerá com a foto, desse modo, no dia da votação basta apresentar somente o documento no aplicativo. Mas o eleitor que não fez o cadastro biométrico, deverá apresentar o documento com foto juntamente com E-título. O aplicativo indica o local de votação, além de oferecer serviços como a emissão de certidões de quitação eleitoral e negativa de crimes eleitorais. O eleitor que não tiver pendências com a Justiça Eleitoral, poderá solicitar a segunda via no na cidade em que vota. Em casos de cancelamento do título, o eleitor poderá regulamentar a situação a partir do dia 5 de novembro, período em que o cadastro nacional de eleitores será reaberto.
18/09/2018

Dodge pedirá devolução de fundo de campanha usado por Lula

Devolução

Dodge pedirá devolução de fundo de campanha usado por Lula

Em seu balanço de um ano de gestão, Dodge afirmou que o entendimento do MP é de que os valores devem ser devolvidos

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, afirmou nesta terça-feira (18) que irá pedir o ressarcimento dos cofres públicos pelo dinheiro gasto em campanha pelo PT durante o período em que o ex-presidente Lula foi cabeça de chapa. Em seu balanço de um ano de gestão, Dodge, que é também procuradora-geral eleitoral, afirmou que o entendimento do Ministério Público é de que devem ser devolvidos valores do fundo eleitoral utilizados por candidato inelegível. “O momento de se fazer isso ainda está em cursos, porque o prazo para essa prestação de contas ainda está em curso, e é nesse momento que atua o Ministério Público Eleitoral. O que é necessário é o ressarcimento dos cofres públicos do dinheiro do fundo de campanha utilizado por candidato inelegível”, disse. A PGR divulgou nesta terça-feira (18) balanço do primeiro ano de gestão da procuradora-geral. De acordo com os números, foram apresentadas 46 denúncias ao STF (Supremo Tribunal Federal) e STJ (Superior Tribunal de Justiça), e 164 arquivamentos. Das denúncias, apenas quatro foram no âmbito da Operação Lava Jato. No total, foram mais de 19 mil manifestações Dodge defendeu o alto número de arquivamentos, afirmando que todos estão fundamentados e não prejudicam a Lava Jato. De acordo com ela, cerca de um terço dos inquéritos tiveram o arquivamento promovido por prescrição dos crimes. Outras foram arquivadas por fragilidade de prova, afirmou. “É um ato de depuração”, afirmou Dodge. “Temos interesses de continuar com um acervo de casos abertos cuja persecução penal tenha viabilidade.” A PGR não divulgou dados de acordos de delação premiada firmados na gestão de Dodge. A procuradora-geral afirma que não houve diminuição do número de acordos firmados em sua gestão. Segundo ela, os dados não foram divulgados porque os acordos de delação premiada estão em sigilo. Questionada sobre se a disponibilização dos números de acordo feriria o sigilo, a procuradora-geral afirmou se tratar de “opção de comunicação”. “Acho que não fere a identidade, mas o capítulo nosso que trataria desse assunto ficaria muito enxuto se eu apenas publicasse os dados”, afirmou. Ela defendeu ainda o uso da urna eletrônica, e disse que não há motivos para suspeitar que elas possam ser fraudadas. “É um sistema que já foi testado em várias eleições, cuja confiabilidade não foi até o momento negada por nenhum teste”, disse. (Angela Boldrini/Folhapress)