Disputa no Senado

Após a derrota nas presidenciais, Álvaro Dias se articula para presidir o Senado

Senador do Podemos terá de enfrentar bancadas maiores

Após a derrota nas presidenciais, Álvaro Dias se articula para presidir o Senado

Ex-candidato ao Planalto, Alvaro Dias tenta apoio para disputar presidência do Senado. Foto: Folhapress

Senador e ex-candidato do Podemos à Presidência da República em outubro, Álvaro Dias (PR) se articula para presidir o Senado a partir de 2019. Apesar de derrotado na disputa presidencial, ele tem mais quatro anos de mandato como senador. Será difícil. Partido de maior bancada sempre reivindica a indicação do presidente. O senador eleito Flávio Bolsonaro admitiu que o PSL apoie o MDB, mas depende do candidato. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O MDB foi reduzido à metade no Senado, mas ainda com a maior bancada. A senadora Simone Tebet (MT) é candidata à presidência.

A escolha do novo comando do Congresso será realizada em fevereiro, e a posse será no início da 56ª Legislatura, que acaba em 2023.

Além de Bolsonaro, somente Álvaro Dias topou encarar o PT, na campanha de 2018. E foi o senador mais bem votado do País em 2014.

André Brito
André Brito
| Atualizado