A troco de quê?

Agressor de Bolsonaro já tem quatro ‘vaquinhas virtuais’ para garantir fiança

Em uma dessas campanhas o pedido é feito pelo "nosso guerreiro Adelio"

Agressor de Bolsonaro já tem quatro ‘vaquinhas virtuais’ para garantir fiança

Entretanto os criadores ainda não receberam nada além de "esculachos"

Em menos de 24 horas, Adelio Bispo de Oliveira, que agrediu com uma facada o deputado federal e candidato a Presidência, Jair Bolsonaro (PSL-RJ), ganhou quatro campanhas de financiamento, para custear as despesas judiciais.

As “vakinhas” foram criadas por Marlon Costa, de São João de Meriti/RJ, Hudson Alves, de Brasília, Talles de Peruibe, interior do estado de  São Paulo e Genival Da Costa Bentes de Santarém/PA. O Diário do Poder tentou entrar em contato com Hudson Alves, por meio de mensagem, para saber qual o motivo para criar uma campanha em prol de Adelio, porém não recebeu nenhuma resposta até o momento.

Nas campanhas os “solidários” autores pedem ajuda para Adelio, a quem consideram um herói. “Vamos ajudar a tirar esse herói da cadeia”, ou “Vamos ajudar o nosso guerreiro Adelio, esse homem que por um descuido acabou sendo preso”.

Entretanto, até o momento todos os autores receberam “esculachos” em suas campanhas, e nem um tostão.

 

Francine Marquez
Francine Marquez
| Atualizado