A lição do seu Francisco

A lição do seu Francisco

Ao afirmar certa vez que não existe alguém mais ético e honesto que ele, Lula esqueceu, por exemplo, de Francisco Basílio, humilde servidor da Infraero que devolveu US$10 mil perdidos por um turista no aeroporto de Brasília. Levado ao Planalto para um factóide, seu Francisco ouviu Lula dar vexame: “…o normal era ele ficar com o dinheiro!” Do alto de sua dignidade, seu Francisco observou, humilde e firme: “Não, senhor… Eu não quero nada que não seja meu.” Daqueles dois, um se revelaria “amigo do alheio”, e por isso está preso.

Redação
Redação
| Atualizado