Publicidade
Felipe Luis
Rio de janeiro / RJ
Resposta
De acordo com o cientista políticio Paulo Kramer:

Nas sociedades liberal-democráticas modernas, as principais ideologias político-partidárias não costumam ser mais de cinco ou seis: esquerda, centro-esquerda, centro, centro-direita, direita. De modo geral, de acordo com a chamada "lei Duverger", formulada pelo cientista político francês Maurice Duverger, quanto mais majoritário o sistema eleitoral (a exemplo do bipartidarismo norte-americano, com Democratas e Republicanos, ou britânico, com Trabalhistas e Conservadores), menor o número de partidos efetivamente competitivos (na França, o sistema de eleição parlamentar em dois turnos também produz um 'afunilamento' do sistema partidário). De outra parte, quanto mais proporcional o sistema eleitoral, maior tende a ser o número de partidos efetivamente competitivos (caso, por exemplo do sistema misto alemão, que combina características majoritárias e proporcionais, exibindo duas legendas maiores -- a democrata-cristã, centro-direita, CDU/CSU; e o centro-esquerdista Partido Social-Democrata, SPD -- e duas menores: os Liberais (mais à direita) e os Verdes (mais à esquerda). Sistemas mais decididamente proporcionais tendeem a produzir mais partidos eleitoralmente viáveis, como em Portugal ou na Espanha.

Bem, nada disso tem a ver com a licenciosidade da legislação eleitoral e partidária vigente no Brasil e que é responsável pela verdadeira orgia de 20 partidos representados na Câmara dos Deputados! É claro que eles não representam ideologias tão diferentes a ponto de justificar esse número. A maioria dessas legendas é constituída de nanicos cuja existência quase sempre justifica-se apenas pela sua utilidade como mercadoria precio$a na hora de montar coligações eleitorais e garantir o máximo de tempo possível no horário eleitoral gratuito.

 

 
ricardo Antonio Ribeiro de Carvalho
recife / PE
Resposta
Segundo o professor do Núcleo de Estudos Cubanos da Universidade de Brasília (UnB), Hélio Doyle , um médico em Cuba recebe em torno de US$ 250 dólares.  Doyle explica que é difícil compararmos o que eles conseguem comprar com o valor recebido, já que Cuba vive num regime socialista. Porém, o professor destaca que na escala salarial, os médicos cubanos recebem os melhores salários do país, ao lado dos professores universitários. Doyle ressalta que no regime do país, os médicos têm um padrão de vida considerado bom. O professor da UnB ainda observa que em Cuba não existem milionários e nem miseráveis.
Heraclides Pereira ilho
Anápolis / GO
Resposta
O cientista político David Fleischer examinou a questão:

No estado atual do Brasil, é mais de hora de abolir a norma da obrigatoriedade do voto. Esta imposição da Lei Eleitoral de 1950 servia porque o eleitor brasileiro não tinha uma preparação cívica da sua cidadania política. Ele não estava preparado para o voto facultativo e por isto deveria ser obrigado a votar.

Já 63 anos depois desta imposição legal a escolaridade e “consciência cívica” do brasileiro já aumentou muito e penso ter chegado a hora de tornar o voto facultativo no Brasil.

Pesquisas de opinião realizadas pela Datafolha mostram claramente que os pobres continuariam a votar mesmo com o voto facultativo, e os ricos também; mas quem deixaria de votar seria alguma parte da classe média.

A motivação que levam as pessoas a votar no caso do voto facultativo é a percepção que seus interesses próprios estão em jogo.  Caso a atual classe política esteja tão “desacreditada”, talvez sirva de motivação para levar os eleitores às urnas em 2014 para eleger outros candidatos mais “ligados” ao “clamor das ruas”.

 
Carlos Esteves
Rio Branco / AC
Resposta
De acordo com estudos da Organização Mundial de Saúde (OMS), não há evidências de que a exposição humana a campos eletromagnéticos cause efeitos adversos à saúde, desde que respeitado determinados limites. No Brasil, esses limites foram regulamentados pela Lei 11934/2009 e pela Resolução 303/2002 da Anatel, com base nas diretrizes da Comissão Internacional de Proteção Contra Radiação Não Ionizante (ICNIRP) recomendados pela OMS. Até hoje, a Anatel não encontrou nenhuma torre que não respeite estes limites de segurança.
Walmor Dossena
Porto Alegre / RS
Resposta
A senadora Kátia Abreu ( PMDB- TO) respondeu: "Não sou vice de ninguém. Sou candidata a reeleição no Senado ou a governadora do Tocantins. Meus eleitores através de pesquisas vão decidir".
Cláudio Luís Vitório dos Santos
Rio Grande / RS
Resposta
A ex-primeira dama Marisa Letícia não nutria amizade pela toda poderosa assessora de Lula, Rosemary de Nóvoa Noronha. Dona Marisa teria, inclusive, proibido que Rosemary viajasse a bordo do aeroLula. De acordo com notícias veiculadas na época da descoberta do Rosegate, funcionários do Palácio do Planalto descreviam Rosemary como “arrogante”. A atual chefa do Executivo, Dilma Rousseff, também não era do time “pró-Rose”. Nem mesmo o ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência, tolerava a assessora. Coube a Carvalho contar para Lula que Rosemary foi demitida por Dilma.
Claudio Pessoa de Barros
Monte Apazivel / SP
Resposta
A Secretaria de Imprensa da Presidência da República respondeu que o senhor João Santana não possui contrato com a Secretaria de Comunicação (Secom) da Presidência da República. De acordo com a Secom, esporadicamente, João Santana conversa com pessoas do governo sobre assuntos de comunicação pública. A Secom diz ainda que Santana contribuiu gratuitamente doando formalmente ao Governo Federal seus direitos de autor referentes à linha criativa do posicionamento da nova Marca Brasil (País Rico é País sem Pobreza) e ideias para a campanha de lançamento do programa Brasil Sem Miséria.
Marcelo Sampaio Ferreira
Fortaleza / CE
Resposta
O Ministério da Saúde (MS) informou que não possui informações pessoais sobre os médicos que se escreveram para participar do Programa Mais Médicos. De acordo com o MS, a lista com os inscritos ainda não foi divulgada. O MS lembra que qualquer médico estrangeiro, independentemente da nacionalidade, não precisará passar no teste de revalidação de diploma.
Carlos Coimbra
Curitiba / PA
Resposta
A assessoria da Controladoria-Geral da União disse que tem plena confiança no  Secretário de Prevenção da Corrupção, Sérgio Nogueira Seabra. De acordo com a CGU, as informações divulgadas pela imprensa são relativas à busca e apreensão de documentos ocorrida na residência do secretário durante a Operação Sinapse da Polícia Federal.

Ainda de acordo com a CGU, o  fundamento apresentado para requerer tal medida foi a “suspeita de vazamento de informações” sobre a existência da investigação e das interceptações telefônicas, pelo então Assessor de Controle Interno do MEC, Sérgio Seabra, em favor do reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado do Paraná( IFPR).

A suspeita, no entendimento da Direção da CGU, não tem a menor consistência, pois se baseou em conversa telefônica gravada pela PF, na qual Sérgio Seabra, na condição de assessor do MEC, trata normalmente com a então chefe da unidade regional da CGU no Paraná do andamento da auditoria em curso, em cumprimento do seu dever funcional. Por fim, a CGU reafirma que tem plena confiança no secretário.
Genaro Silva
Recife / PE
Resposta
A assessoria do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) respondeu que despachos da corregedora-geral eleitoral e do diretor-geral do TSE já determinaram a suspensão do referido acordo que, cabe ressaltar, não teve sequer sua execução iniciada.
TWITTER
@colunach

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2017 - Todos os direitos reservados