Publicidade
07 de Abril de 2018
A Presidência da República ainda não sabe o que fazer com as prerrogativas de ex-presidente de Lula, agora que sua prisão foi decretada. As regalias incluem carros oficiais, auxílio-moradia, assessores, segurança pessoal e uso ilimitado de cartão corporativo. A Secretaria de Comunicação informou que a consulta, encaminhada à área jurídica do Planalto, somente será respondida segunda-feira (9).
Os privilégios de Lula custam mais de R$ 1 milhão por ano. Ele também tem direito a passagens aéreas e até a assistência à saúde.
O maior gasto de um ex-presidente em um só ano, sem surpresa, é o de Dilma Rousseff (PT) em 2017: mais de R$1,4 milhão.
A Secretaria-Geral da Presidência, que gerencia as regalias do ex-presidente, não quer comentar o assunto antes de parecer jurídico.
O ex-presidente petista, agora apenado por corrupção, gastou mais de R$7 milhões do contribuinte com suas regalias.
Publicidade
Menos de 24h após a ordem de prisão do ex-presidente Lula, parte do movimento sindical, que um dia ele já liderou, bateu em retirada. A CSP Conlutas, Central Sindical e Popular, que está à esquerda da CUT no espectro ideológico, foi a primeira a anunciar que não participaria dos atos contra a prisão. Em nota, a central sustenta que “a justiça deve ser feita para todos”, principalmente para quem “esbanja dinheiro público”.
A central pediu a prisão de corruptos e corruptores e a expropriação de bens para restituição ao erário. Tudo o que o juiz Sérgio Moro tem feito.
O Sindicato dos Metalúrgicos, onde Lula entocou, tem mais de 50 mil associados, mas só uma pequena parcela compareceu ao comício.
Nem mesmo o mais pessimista dos apoiadores do PT imaginou que a iminente prisão levaria às ruas um número tão reduzido de lulistas.
A página do PT na internet deixou de mostrar o número atualizado de filiados. Antes de o PT omitir os dados, eram de 1,7 milhão, em viés de baixa. Só uma ínfima parte saiu às ruas em defesa de Lula, ontem.
O comportamento de Lula, após a ordem de prisão, abriu caminho para a decretação da sua prisão preventiva em qualquer dos processos a que responde. Pelo desacato, desafiando a Justiça, e até risco de fuga.
A cordialidade do juiz Sérgio Moro, concedendo 24 horas de prazo para Lula se apresentar à cadeia, foi ignorada pelo meliante condenado por corrupção. Oportunista, ele preferiu tirar partido da própria prisão.
Enquanto se dirigiam a São Bernardo, nesta sexta (6), os caminhões de transporte de tropa do temido batalhão de Choque da Polícia Militar foram saudades com gritos de “viva”, acenos e buzinaços de apoio.
A Câmara não instalou a Comissão de Legislação Participativa por falta de quórum, quarta (4). “Doente”, Luiza Erundina (Psol-SP) apresentou atestado médico e faltou. Mas foi ao “ato” pró-Lula, em São Bernardo, nesta sexta. Parecia muito bem disposta em cima do trio elétrico.
A esperança petista por liminar do ministro Marco Aurélio (STF) para evitar a prisão de Lula durou pouco. Assim que recebeu o pedido, ele o devolveu à presidente Cármen Lúcia para escolher outro ministro.
A 13ª Vara Federal esclareceu que a partir do descumprimento da ordem de se apresentar às autoridades, Lula não foi considerado “foragido da Justiça”, mas seria preso a qualquer momento.
Neste 7 de abril, o Dia do Jornalista é uma homenagem especial aos bravos trabalhadores agredidos covardemente pelos capangas do PT, CUT e MST enquanto cobriam a iminente prisão de Lula, o corrupto.
...o único sangue derramado ontem foi no churrasco no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo.
Publicidade
busca
colunas anteriores

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2018 - Todos os direitos reservados