Publicidade
05 de Fevereiro de 2018

O Congresso esteve de recesso desde o já longínquo 20 de dezembro de 2017, mas deputados e senadores torraram R$ 3,5 milhões da “cota parlamentar”, aquela verba usada para indenizá-los de qualquer despesa, apesar de nesse período não exercerem qualquer atividade parlamentar. Em média, cada deputado teve R$ 6,4 mil reembolsados no recesso. No Senado, o reembolso foi de R$ 2,1 mil por parlamentar.

Quatro deputados e o senador José Medeiros (MT) receberam mais da cota parlamentar no mês de recesso do que o salário de R$ 33.763.
O campeão de gastos com o “cotão de férias” foi o deputado Victor Mendes (PSD-MA), que teve R$ 39 mil reembolsados em janeiro.
Nivaldo Albuquerque (PRP-AL), Ricardo Teobaldo (PE), Silas Câmara (PSC-AM) também gastaram mais que o teto constitucional com a cota.
Somente no ano passado, a “cota parlamentar” arrancou do bolso dos contribuintes mais de R$242,2 milhões.
Publicidade
O MST deu as costas, há muito, à defesa da reforma agrária e virou instrumento de defesa dos corruptos fisgados pela Lava Jato, incluindo o ex-presidente Lula. Demonstração disso é que o governo do presidente Michel Temer emitiu mais títulos definitivos de propriedade no âmbito da reforma agrária no ano passado, mais de 26 mil, do que a soma dos dez melhores anos dos governos Lula e Dilma somados.
Nos dois melhores anos, Lula e Dilma emitiram 6,8 mil e 6,5 mil títulos definitivos, respectivamente, ou a metade dos emitidos no ano passado
Em carta a Dilma em 2014, o MST fez críticas e disse que o governo dela “foi incapaz de resolver esse grave problema social e político”.
O MST passou a criticar a regularização fundiária alegando que o título definitivo “facilita a venda da propriedade”.
O Congresso Nacional abre os trabalhos de 2018 nesta segunda-feira (5). Será lida mensagem do presidente, como é de praxe. Mas a ida de Temer é opcional, ele pode ser substituído pelo ministro da Casa Civil.
Foi do presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), a decisão de adiar a sessão inaugural do Legislativo para esta segunda. De férias desde 20 de dezembro, suas excelências só voltam de fato no dia 19.
A ex-presidente Dilma só levou sua mensagem pessoalmente no primeiro ano, em 2011. Nos anos seguintes, foi entregue pelo chefe da Casa Civil. Em 2016, ela voltou a aparecer no Congresso.
Gastos com “recursos humanos” representam 90% da despesa de todo o orçamento do Poder Judiciário (R$ 84,8 bilhões). Isso inclui, além da remuneração de juízes, servidores ativos e inativos, terceirizados e estagiários, todos os auxílios e assistências. A informação é do CNJ.
A Seguradora Líder, alvo de investigações por irregularidades no seguro obrigatório DPVAT, afirma que a nova diretoria promoveu várias mudanças na gestão, principalmente, no quesito transparência. O TCU investiga fraude de R$5 bilhões no pagamento dessa conta.
O terceiro maior bloco da Câmara dos Deputados é do PP-Avante (ex-PTdoB), com 52 deputados. É maior que a bancada tucana, a quarta maior, que tem 46 deputados (dos quais 23 são "oposição").
O faturamento das principais, quase únicas, empresas aéreas do Brasil (Latam, Gol, Avianca e Azul) subiu de R$ 110,3 milhões em 2015 para R$ 289,5 milhões no ano passado, aumento de 162,4% em dois anos.
Apesar de alguns terem decretado o “fim” da reforma da Previdência, os partidos que integram a base de apoio do governo Temer têm 346 deputados, 38 votos a mais que o necessário para aprovar a matéria.
...após a conclamação de ação armada por senadores do PT contra a prisão de Lula, surge a dúvida: existe Conselho de Ética no Senado?
Publicidade
busca
colunas anteriores

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2018 - Todos os direitos reservados