Publicidade
24 de Agosto de 2017
O ex-craque Ronaldinho Gaúcho deve ser a principal estrela do Podemos, partido liderado pelo senador Álvaro Dias (PR), nas eleições do Distrito Federal, em 2018. A filiação do ex-jogador é produto de articulação do senador Romário (Pode-RJ). Gaúcho poderá disputar vaga de deputado federal ou senador, dependendo dos entendimentos, mas já está definido: seu domicílio eleitoral será mesmo Brasília.
Gaúcho tenta alugar casa no Lago Sul, o mais próximo possível da residência de Romário. Vai ter festa na beira do lago todo santo dia.
A legislação determina que candidato faça prova de domicílio eleitoral de 1 ano antes da eleição, no mínimo.
Líder do Podemos no DF, o deputado distrital Rodrigo Delmasso não se opôs à filiação de Gaúcho: “Pelo contrário, será muito bem-vindo”.
José Sarney disputou o Senado pelo Amapá, ao sair do Planalto. A Justiça fingiu acreditar que seu “domicílio eleitoral” era autêntico.
Publicidade
O Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu ontem que é ilegal pagar honorários advocatícios de três escritórios contratados por 110 municípios do Maranhão, sem licitação, para arrancar R$7 bilhões do ex-Fundef, atual Fundeb. Eles tentaram se aproveitar de condenação da União, em ação movida pelo Ministério Público Federal, para complementação de verbas do Fundef em São Paulo. Além de proibir honorários, o TCU mandou o caso para a Polícia Federal investigar.
MPF e o MPE-MA pediram que o TCU barrasse o pagamento, já que a verba do Fundef deve ser investida em Educação, não em advogados.
Chamou a atenção dos ministros o estranho parecer de sua Secretaria de Recursos, afinal rejeitado, contra o julgamento do caso pelo TCU.
Ministros do TCU agora querem saber se o servidor da Secretaria de Recursos pró-escritórios de advocacia vai atuar em eventual recurso.
Os produtores de etanol do Nordeste venceram a queda de braço com o lobby dos distribuidores de combustíveis: a Camex decidiu taxar em 20% a importação de álcool podre americano, à base de milho, que excede os 600 milhões de litros por ano. Antes, a alíquota era de 0%.
Sete anos e meio após sair da Presidência e condenado por corrupção, Lula custa ao contribuinte (só em gasolina) mais de R$ 21,5 mil por ano. Seu “assessor” usa cartão corporativo do Palácio do Planalto.
Em visita ciceroneada pelos Renans, pai e filho, sob forte protesto dos alagoanos, Lula foi convidado a receber no fim do ano, em Maceió, o curioso título conferido por um grupo de boêmios: “Canalha do ano”.
O ministro Luís Barroso afirmou terça (22) que a operação Lava Jato é vítima de grande “operação abafa”. Integrante do Supremo Tribunal Federal, maior e mais poderosa corte do País, ele bem que poderia mandar prender quem faz isso. Ou ao menos denunciar seus nomes.
O governo vai privatizar a Casa da Moeda, o que é muito positivo. Na Grã-Bretanha, a empresa privada De La Rue imprime as Libras Esterlinas, moeda mais valiosa do mundo, há quase 150 anos.
A caixa-preta continua inexpugnável: os senadores Romero Jucá (PMDB-RR) e Humberto Costa (PT-PE) orientaram suas bancadas a negar urgência ao projeto que quebra o sigilo de operações do BNDES.
Chegou ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região a sentença que condenou o ex-presidente Lula a 9 anos e 6 meses de cadeia por corrupção. Em média, recursos são julgados em até 6 meses, no TRF4.
No debate da reforma política, os deputados Danilo Forte e Lúcio Vieira Lima protagonizaram diálogo, no mínimo, estranho: “Eu sou pró-ativo”, disse Forte. “Pró-ativo? O senhor é hiperativo”, provocou Lima. Forte encerrou, arrancando risos: “Graças a Deus! Melhor que ser passivo!”.
...não fixar valor do fundão para partidos políticos é como dar cheque em branco para o dono do banco.
Publicidade
busca
colunas anteriores

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2017 - Todos os direitos reservados