Publicidade
24 de Outubro de 2017
O governo endurece o jogo, na reta final, para somar ao menos 264 votos favoráveis a Michel Temer na votação da segunda denúncia, nesta quarta (25). Um voto a menos dos 263 obtidos na rejeição à 1ª denúncia poderia significar um “viés de baixa” no apoio ao governo. E uma votação maior ajudará na articulação para aprovar a reforma da Previdência. A oposição precisa de 342 votos para afastar Temer.
O líder do governo, deputado Lelo Coimbra (PMDB-ES), acha que Temer terá de 260 a 270 votos, mais que na primeira votação.
No PSDB, nesta quarta-feira, os 21x20 votos pró-Temer na primeira denúncia devem ceder lugar ao placar de 24x20 contra o presidente.
O PRB, que na primeira registrou votos contra Temer, desta vez está fechado com o Planalto, a exemplo do PR de Valdemar Costa Neto.
O presidente Temer se reuniu no Palácio da Alvorada, nesta segunda, com ministros e deputados para conferir voto a voto.
Publicidade
O projeto da nova Lei dos Planos de Saúde abre caminho para um inescrupuloso aumento de preços para todas as idades. A pretexto de “proteger” a exploração do cliente cuja mensalidade aumenta mais de 100% quando completa 59 anos, o projeto limita esse reajuste a seis vezes àquele pago por cliente de 18 anos. Assim, os Planos ganham o “direito” aumentar a mensalidade dos 18 anos para explorar os idosos.
Ousados, os planos de saúde tentam convencer os deputados a alterar o Estatuto do Idoso para abrir caminho à exploração sem limites.
O artigo 15 do Estatuto do Idoso, que os lobistas querem abolir, proíbe os planos de saúde de cobrar valores diferenciados em razão da idade.
Não por acaso, as empresas não têm reclamado das novidades até agora conhecidas no projeto da nova lei dos Planos de Saúde.
Do alto de seus 86 anos, o apresentador Sílvio Santos foi simples e preciso para definir a situação do ex-presidente Lula. “Se ele não rezar e não orar, ele pode se ferrar. Pode tirar umas férias aí de nove anos”.
As receitas do governo federal ultrapassaram os R$2 trilhões em 2017. Menos de 60% do previsto e não deve chegar nem perto dos R$2,8 trilhões registrados no ano passado.
A FAB não dá detalhes sobre os jatinhos e jatões que transportam o presidente e seus ministros. Mas admite que o Airbus que Lula comprou por US$57 milhões só está “disponível” 80% do tempo.
O governo de Alagoas tem ignorado o esforço do Ministério Público Federal para evitar um novo vexame como o de 2000, quando o Brasil foi condenado a pagar multa a vítimas de grampos ilegais.
A Câmara aprovou projeto dando prazo de três meses para que as concessionárias de energia mudem postes de lugar, caso a localização prejudique o consumidor, que, para variar, ainda paga a conta.
O secretário de Comunicação de Sergipe lamentou que Henry Clay, da OAB-SE, use números defasados. Sales Neto diz que em 2016 Sergipe foi o Estado que mais reduziu a criminalidade no Nordeste, 4º no País.
Um táxi, de Curitiba, chamou atenção e gerou piadas entre turistas que passavam pelo Congresso, ontem. “Deve ter acabado o dinheiro para pagar jatinho da Polícia Federal”, brincou um deles.
Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp mostram o impacto da crise na inadimplência. Se o calote caiu no caso dos consumidores, o nível de inadimplência de pessoas jurídicas dobrou nos últimos três anos.
...Sérgio Cabral em presídio federal é o encontro da rima com a solução.
Publicidade
busca
colunas anteriores

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2017 - Todos os direitos reservados