Publicidade
Mudança só por milagre

Quadro desolador para a eleição de 2018. Somente Deus e o povo poderão mudar esse cenário que se antecipa.

Nunca, em toda história do Brasil, os partidos políticos irão dispor de tanto dinheiro "oficializado", com a origem nos cofres públicos, para os políticos detentores de mandatos gastarem na eleição.

Está comprovado que o “faz de conta” das mudanças eleitorais aprovadas pelo Congresso garantiu apenas a reeleição dos detentores atuais de mandatos.

Como se não bastasse, o TSE aprovou uma resolução (23.553), que permite o autofinanciamento para campanhas políticas nas eleições de 2018, que está sendo questionada no STF.

Com essa medida, os candidatos poderão usar o próprio dinheiro para conquistar votos, com limites bisonhos pré-fixados.

A variação dos valores permitidos será em função do número de eleitores.

Um candidato milionário ao senado, por exemplo, gozará da autorização de 2,5 milhões a 5,6 milhões de reais para gastar na sua própria campanha.

Os deputados federais poderão “investir” 2,5 milhões de reais, enquanto deputados estaduais têm limite de 1 milhão de reais.

Além disso, a mídia informa que dirigentes partidários, à luz do meio dia oferecem R$ 2 a 3 milhões do Fundo Partidário (dinheiro público), como meio de aliciamento de deputados e senadores, através da chamada “janelinha partidária”, que legaliza mudanças de partido.

Quer dizer: quem tem dinheiro financia a sua própria campanha.

Quem é "protegido" das cúpulas partidárias recebe financiamento do Fundo Partidário.

E quem não tenha mandato, nem dinheiro, fica a "pão e água".

Um cenário dantesco se antecipa, portanto, para a eleição de outubro próximo.

A conclusão é que para 2018 o Congresso Nacional terá um perfil de fragmentação, ainda maior que o observado nas eleições de 2014.

Tal fato obrigará o presidente e governadores eleitos realizarem coalizões à base do “toma lá me dá cá”,dificultando a governabilidade, desde o início das administrações.

Sem dúvida, receita típica para o caos do nosso sistema democrático, cujas perspectivas de mudanças, infelizmente são distantes,

O Brasil poderá mudar?

Só se for um milagre!!!!!
 

Ney Lopes – jornalista, advogado, ex-deputado federal; ex-presidente do Parlamento Latino-Americano;  procurador federal – nl@neylopes.com.br – blogdoneylopes.com.br

Publicidade
TWITTER
@colunach

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2018 - Todos os direitos reservados