Publicidade
É hora de deixar Waack em paz

Atire a primeira pedra quem nunca disse algo errado ("Não sou racista, minha obra prova"- Folha de São Paulo-14/1). Ou quem nunca se arrependeu por alguma chacota fora de hora.  A hipocrisia, o rancor e o torpe patrulhamento não podem nem devem ganhar todas as batalhas. É hora de deixarmos Waack seguir a vida dele em paz.

 

Outro Rio era melhor
Garoto ainda, morei no Rio de Janeiro. Locais encantadores e divertidos.Inconfundíveis delicias cariocas.  Reinava a paz.   Autêntico cartão postal de um Brasil acolhedor e seguro.  Hoje, em anúncio, o governo federal tenta atrair turistas, exibindo uma cidade sem problemas. Esconde  o sol com a peneira, garantindo que "tem um Rio de Janeiro para cada brasileiro". Tem mesmo. Outros tantos melancólicos e assustadores Rios precisam ser revelados, sob pena do Ministério do Turismo acabar nas malhas do Procon por propaganda enganosa.


Marco Polo tem o direito de se defender
O correto, sensato e bom jornalismo, é permitir que Marco Polo Del Nero use o democrático direito de defesa junto a Fifa, sem o patrulhamento vil e  ressentido. Ninguém pode ser condenado com base em ilações e suposições. Lamentável que setores da imprensa esportiva se fantasie de policial, juiz e carrasco, satanizando e execrando o presidente da CBF com antecedência. Atitude feia, covarde e melancólica. Paladinos de araque. Não enxergam o próprio umbigo. 

 

Tostão, Ganso é o meia que falta
Tostão embeleza o texto ("O  domínio do espaço-tempo" - 14/1 - Folha de São Paulo) recordando meio-campistas espetaculares ,eternos e cerebrais, como Gerson e Iniesta. Ao mesmo tempo que volta a lamentar a ausência na seleção brasileira de um meia que cadencie o jogo com inteligência. Nesse sentido, reitero que Paulo Henrique Ganso preenche os requisitos exigidos por Tostão. Basta, apenas, que Tite dê uma chance a ele. A bola e o torcedor exigente agradecem desde já. 
 

Assassino merece ir direto para o inferno
No interior de São Paulo um ordinário e covarde matou a mulher com 13 facadas. Depois tentou o suicídio, mas "foi socorrido a tempo".  Pena. Assassino merece ir direto para o inferno. Sem dó nem piedade.
 

Cony, Hélio Fernandes e os espaços em branco
O espaço em branco da coluna do Cony,na Folha de São Paulo,  marcante e eterna homenagem ao acadêmico e jornalista, me fez lembrar dos tenebrosos períodos da censura prévia existente na "Tribuna da Imprensa", do Rio de Janeiro. O diretor do jornal, Hélio Fernandes, hoje com 96 anos, com blog e escrevendo diariamente,com a habitual lucidez e firmeza,  deixava em branco todos os espaços censurados, enfatizando a violência e a estupidez da censura. 

 

Temer não tem sossego
Não dão trégua a Michel Temer. O homem nao tem sossego. Temer faz por merecer. Governo se complica fácil. Auxiliares falam língua diferente. Ninguém se entende. Muito lero-lero. Nessa linha, engessaram Temer. Se correr, o bicho pega, se ficar, o bicho come.  O PTB exige a pose da complicada filha do Roberto Jeferson. Que, por sua vez,  garante dezenas de votos favoráveis a reforma da previdência. Tanta marola em torno da deputada, é para atingir Jeferson e enfraquecer Temer. Elementar, Padilha. A votação da reforma da previdência ainda está longe. Para aumentar a angústia de Temer e feiticeiros palacianos. 

 

Limongi é jornalista. Trabalhou no O Globo, TV-Brasilia, Última Hora de Brasilia, Universidade de Brasilia, Ministério da Justiça, Senado Federal, Confederação Nacional da Agricultura e Suframa. Tem face e blog. É sócio da ABI há 49 anos. É servidor aposentado do Senado Federal.

Publicidade
TWITTER
@colunach

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2018 - Todos os direitos reservados