Publicidade
Marco Polo é pé-quente e pragmático

Marco Polo Del Nero é pé-quente e pragmático. Tirou Dunga porque a seleção não estava bem. Corria o risco de não ir, pela primeira  vez, para uma copa do mundo. Batia na porta uma tragédia esportiva desanimadora e lamentável  para o Brasil penta campeão do mundo. Marco Polo chamou Tite. O carismático treinador  deu novo ânimo e cara para a seleção. As vitórias chegaram e o torcedor voltou a vibrar e acreditar na seleção. o Brasil  foi a primeiro a se classificar para a copa.  A seleção também é vitoriosa no quesito gestão.  A CBF  trabalha unida e vigorosa para que nada falte a Tite, atletas e comissão técnica. Patrocinadores acreditam na escalada da seleção em busca do hexa.  Rebotalhos  perdem tempo estrebuchando e sangrando ódio pelos olhos. A CBF tem parcela importante nos êxitos da seleção. Gostem ou não gostem os paladinos de barro.  Desconhecem, por rigorosa má-fé e incompetência que nada é mais grandioso em busca de um objetivo, do que o trabalho isento e eficiente. 


Sábio FHC
É bom demais, abrir a janela, ver o sol radiante dando bom dia. Fazer  a barba, tomar banho e tomar café, lendo mais um artigo magistral do inatacável FHC. Exortando novos rumos para o Brasil. O ex-presidente é supimpa. Pedra noventa (ou seria cem?) FHC ilumina os espíritos   com sua incrível sapiência. Se FHC não existisse,estaríamos perdidos.  Não  sei o que seria de nossas existências. Há tempos faço economias para ir ao Vaticano assistir e aplaudir a canonização do beato FHC. 
 


Liberdade de expressão não é para ordinários
Perto de completar 73 anos, deploro, energicamente, a censura, a intimidação, as ameaças e o patrulhamento. A liberdade de expressão é saudável, estimulante e permanente. Conquista democrática das nações civilizadas. Mas não pode nem deve ser instrumento para patifes e ordinários que lamentavelmente tomaram conta da internet e das redes sociais. Camarilha de venais, covardes e hipócritas que xingam, insultam, inventam intrigas, vociferam ódio, recalque, rancor e acusam sem provas, sem ao menos ter a coragem de assinar o próprio nome. As redes sociais tornaram-se o paraíso dos canalhas. Triste constatação. Temer obrou bem vetando a censura online voltada para as eleições de 2018. Resta saber quem e como se colocará freios e bom senso nos marginais e irresponsáveis travestidos de isentos.
 


Crianças de Janaúba embelezam o céu
Irretocável,  pungente, doloroso,  dramático e dilacerante o belo artigo de Cida Barbosa ("Um mundo maligno" - Correio Braziliense - 9/10). O início é revelador e avassalador. Verdade que dói no coração. Permanente pesadelo dos que amam seus filhos e lutam para preservá-los:  "Estamos num mundo covarde, barbaro, repulsivo, infame". Crianças merecem homenagens no dia 12. Mais amor do que nunca. Porém, que  os adultos não esqueçam também de saudar e orar pelas crianças vitimadas em Janaúba, agora brincando e cantando no céu.
 


Imbecil Casagrande
Ancelmo,  Quem é Casagrande para patrulhar os outros? "tempos de intolerância" de quem, Ancelmo??!! Com que autoridade Casagrande se fantasia de moralista? porque é da tv-Globo??!porque escreveram um livreco sobre ele?
Ganhou alguma copa do mundo??Já que insiste em exibir qualidades que não tem, deveria  deixar de conversa fiada e se candidatar nas eleições de 2018. 
Não se julga duro , machão e sabidão? Caso contrário, que permaneça hipócrita e
saiba  que quem diz o que não deve, ouve o que não quer. Ou deixe de ser paladino de araque e aguente o tranco pois o jogo é duro. 


Bandido escrevendo em jornal
O quixote Ricardo Noblat( O Globo- 11/10) afirmou que "No fim, bandido vence!", lamentando o relatório do deputado Bonifácio Andrade favorável a Temer.
Mas sobre bandido fantasiado de isento e puro, que escreve em jornal, Noblat não diz nada.  Coloca o rabo entre as pernas. 
 


Kfoury  e Tostão, paladinos de araque
Fracassado como jornalista e escritor, o folclórico Juca Kfoury em seus enfadonhos,  fedorentos e desacreditados rabiscos, enfatiza   que é  idiota, embusteiro, torpe, venal, rancoroso, recalcado, pretensioso, arrogante, abjeto, repugnante, rebuscado, cretino, asqueroso, cínico, destrambelhado, leviano, dissimulado, mentiroso, calhorda, inexpressivo, obscuro,  sacripanta, beócio e parlapatão. Sempre movido com inconfundível  "estilo gilette, ou seja, corta  dos dois lados", na definição irretocável do deputado federal e ex-presidente do Corinthians, Andreas Sanches.  Kfoury engana a boa fé dos trouxas. Entre eles, Tostão. Outra vestal grávida e gênio da lâmpada estragada. Se julga o maior analista de futebol do planeta. Coitado. Sem noção. Tostão é apenas mais  expoente do timeco  dos falsos isentos e paladinos de meia pataca. 
 


Bons ventos para o polo de Manaus
Os Indicadores de Desempenho do Polo Industrial de Manaus (PIM), divulgados pela SUFRAMA, apontam retomada de empregos na indústria incentivada da capital amazonense. Os números mais recentes, referentes ao mês de agosto, apontam, no acumulado do ano, 18.225 contratações contra 17.450 demissões, o que significa um saldo positivo de 775 vagas. A média de pessoas empregadas no PIM em 2017 está em 84.902 pessoas. No período de janeiro a agosto do ano passado, era de 84.682. Ainda que de forma tímida, o acumulado nos oito primeiros meses deste ano representa 0,25% mais empregos que o mesmo período de 2016.
A maior variação relativa no número de empregos foi no setor de Bebidas, que contava com 2.021 profissionais no final de 2016 e, em agosto deste ano, já empregava 2.296 - crescimento de 13,61%. Em seguida vem o setor de Papel e Papelão, com variação positiva de 12,15%. O maior crescimento absoluto vem do setor Eletroeletrônico, que criou 2.668 vagas neste ano, saindo de 32.628, em 2016, para 35.296, em 2017 (até agosto). A variação é de 8,18%.
As empresas do PIM faturaram R$ 50,8 bilhões entre janeiro e agosto deste ano. Este número representa um crescimento de 6,90% em relação ao mesmo período do ano passado. Analisando o faturamento em dólar, o crescimento relativo é ainda maior, em função da desvalorização da moeda americana frente à moeda nacional no período: 18,39% (saindo de US$ 13.6 bi para US$ 16 bi).
Para o superintendente da SUFRAMA, Appio Tolentino, a retomada da geração de postos de trabalho, aliada ao desempenho crescente do PIM em diversos segmentos industriais, tem possibilitado projeções cada vez mais otimistas para o restante do ano. "A SUFRAMA busca fomentar um ambiente de negócios propício ao crescimento econômico e à geração de emprego e renda na região. O PIM é nossa principal ferramenta nesse aspecto e é muito importante verificar estatísticas positivas como essas" frisou.

 

 

Limongi é jornalista. Trabalhou no O Globo, TV-Brasilia, Última Hora de Brasília, Suframa, Ministério da Justiça, Universidade de Brasília, Confederação Nacional da Agricultura e Senado Federal. Tem face e blog. É sócio da ABI há 48 anos. É servidor aposentado do Senado Federal. 

TWITTER
@colunach

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2017 - Todos os direitos reservados