Publicidade

Hora da luta do século. De um lado, o franzino e  elegante Temer, trabalhando para tirar o Brasil do atoleiro. Do outro, Rodrigo Janot, o  insaciável  procurador-geral. Armado até os dentes  com  material de guerra de fazer inveja aos rebeldes da Síria e os terroristas do Estado Islâmico. Os óculos  escondem os olhos cheios de ódio e rancor.  Janot   vestiu a armadura do paladino  imbatível.  Passa por cima de   quem tiver a audácia de atravessar o caminho dele. Janot emagreceu 25 quilos. Quer descontar o tempo perdido tirando o couro do esquálido Temer.  No ringue, David contra Golias. O jogo é jogado. Lambari é pescado.  É necessário um raciocínio coletivo para se avaliar melhor as ações mesquinhas, covardes, demagógicas e oportunistas de Janot: Foi ele, através do MPF que endossou a delação premiadíssima da quadrilha chefiada por Joesley Batista. Sem interferência do juiz Moro nem do STF.  A seguir, Janot deu de mão beijada para o Globo o furo fajuto da delação de Joesley. Evidente que com o gesto, Janot queria ter aliado poderoso da midia para levar adiante seu devaneio doentio.  E assim foi.  Juntou-se a TV- Globo, O Globo e a Globonews. Todos babando ódio e se deliciando com enormes e saborosas picanhas e maminhas. De graça, claro. Começava a escalada de Janot para passar por cima inclusive do STF.  Um acinte descarado feito a sol  aberto para o estarrecimento de toda a nação. Aos justiceiros Janot, Globo, TV-Globo e Globonews, juntaram-se a polícia federal, e as pornográficas Veja e Época. Somente Deus tem poder para desmentir matérias surradas e levianas das organizações Globo. Tudo pronto para mandar Temer para o espaço. Onde já se viu, um arrogante e balofo procurador-geral dando ordens para todos os escalões da justiça e praticamente para a mídia toda?  Parece um Brasil enlouquecido pelo rancor, pela vingança. Janot é quem manda. Sonhou ser a raça pura enviada pelo deuses. Encarna o policial, o carrasco, o juiz e a metralhadora que visa acabar com a governabilidade. É o cúmulo do desaforo. Quem dará um basta na arrogância e na prepotência de Janot? Armação e empulhação, Globo, Janot, polícia Federal e Fahin, tudo a ver. É o fantástico , o show da tapeação. Jornal Nacional já era. Agora é Vale pena ver de novo. Repetem dezenas de vezes as mesmas imagens, os mesmos assuntos, os mesmos entrevistados. Tudo contaminado e visando criminalizar Temer.  Jornalismo mais imundo é impossível. 

 

O povo é bobo. Viva a Rede Globo!!!
Meus caros, alguns amigos questionam o meu posicionamento a favor do Temer em meio a esta crise política, desencadeada pelas denuncias do Joesley Safadão. Perguntam com frequência se é por causa da recuperação dos fundamentos da economia que se observa, em menos de um ano de seu mandato efetivo (sua interinidade durou mais de três meses).

Respondo sempre que me ocupo mais das causas, essa recuperação do País é consequência. 

Como assim?

Explico: o presidente Temer começou a ganhar o meu respeito quando desempenhei a função de Assessor Técnico da Liderança do PMDB em Brasília (2005/2011). Nessa época ele era Presidente do PMDB, e várias vezes o encontrei na liderança, principalmente quando o Líder era o Henrique Eduardo (2007/2013), seu amigo, e comecei admirando o político atencioso, bem educado e elegante que nos cumprimentava a todos com muita distinção. 

Nessa época os comentários lhe eram sempre muito favoráveis por parte dos meus colegas com mais tempo de Casa, que o citavam como exemplo de político sério e honesto. Foi então que passei a acompanhar sua trajetória política, e soube de seu ingresso na vida pública pelas mãos honradas do Governador Franco Montoro, que o nomeou Procurador-Geral de São Paulo em 1983, e Secretário de Segurança Pública em 1984, onde se houve com especial competência, criando, entre outros feitos, a primeira Delegacia de Defesa da Mulher do Brasil. 

Em 1986, instado por Franco Montoro, candidatou-se a Deputado Federal, mas não logrou eleger-se, ficando apenas na suplência; posteriormente assumiu o mandato, exercido com excepcional brilho durante a constituinte de 1988. Afinal trata-se de um dos mais respeitados constitucionalistas do País, autor do livro Elementos de Direito Constitucional, que se encontra em sua 24ª edição e já vendeu mais de 240 mil exemplares.

Por três vezes foi presidente da Câmara dos Deputados, sempre exercendo uma liderança discreta e firme, respeitado e admirado por seus pares.

Para encurtar conversa, vou sair dos entretantos direto para os finalmentes, como diria Odorico Paraguaçú. Em 13 de Maio de 2016 (dia abençoado) começou sua interinidade na presidência (que se estenderia até 31 de Agosto). Ainda na interinidade, não esperou sequer ser efetivado na presidência em 1º de setembro, já  começou a mostrar sua preocupação em ¨colocar o país nos trilhos¨ao nomear, para os cargos mais importantes e sensíveis, técnicos brilhantes e respeitados por uma história de vida pautada pela seriedade e honradez no trato com a res pública.  A causa dos êxitos visíveis na recuperação da economia são consequência dessas suas escolhas, eu já esperava. Fosse desonesto, como o Lularápio, teria nomeado outros palocis, mantegas, coutinhos, gabrielis, mercadantes, vacaris, pois bandido é o que não falta na praça. É verdade que alguns não poderiam tomar posse pois estão presos...

No entanto os adversários do Temer, que estão desesperadamente tentando derrubá-lo, têm em sua história fatos altamente desabonadores, como o Fachin, que certa vez, numa corte internacional, defendeu o Paraguay contra os interesse do Brasil; defendeu o MST em questões de invasão de propriedades; foi pedir votos no Senado Federal (para ser nomeado ministro do STF) de braços dados com Ricardo Saud, propineiro do Joesley; fez campanha abertamente pela Dilmula pedindo votos em nome dos ¨juristas que têm lado, o lado do PT¨; participou de um regabofe na mansão do Joesley Safadão em Brasília, já empossado ministro do STF, celebração esta que varou a madrugada, e, ao amanhecer, voou no avião do bandido/açougueiro para Curitiba; constantemente viola preceitos constitucionais e regimentais na ânsia de incriminar o Temer, mancomunado com o Janota, que pediu a prisão do Aécio, enquanto pedia apoio em sua atividade parlamentar, e arquivou a denuncia de obstrução da Justiça, muito mais grave, contra o Mercadante; persegue colegas que demonstraram simpatia pela candidatura da Raquel Dodge, para favorecer seu candidato, o comunista Nicolau Dino. São muitas ignomínias, vou poupá-los da lista completa.

Mas não posso encerrar sem alertar aos que se deixam pautar pela Rede Globo, que essa rede é a mesma da fraude da Proconsult, do diferencial delta, na eleição do Brizola no Rio, lembra? é a mesma que editou o debate Collor/Lula, lembra?; é a mesma que, com provas falsas, criadas pelo Waldomiro Diniz (aquele assessor do Zé Dirceu), numa fraude cruel e mentirosa destruiu a carreira do Deputado Ibsen Pinheiro, lembra?; é a mesma que, calcada em mentiras, destruiu a escola e a vida do casal Aparecida e Icushiro Shimada, proprietários da Escola Base em São Paulo, lembra?; é a mesma que insuflou o povo a apedrejar a casa dos infelizes professores, lembra?

Eu, feliz ou infelizmente, tenho uma boa memória, lembro de tudo isso e muito mais, e¨a memória é a consciência inserida no tempo¨, como dizia Fernando Pessoa. Humberto Ellery

 

CBF repudia ilações e mentiras
Esclareço ao atilado jornalista André Gustavo Stumpf ("Tiroteio final" - CB - 24/6) que a CBF repudiou, com veemência, em nota oficial, as  acusações contra o presidente da entidade, Marco Polo Del Nero. Salientando que as ilações são falsas e sem fundamento. Nessa linha, a propósito de José Maria Marin, em prisão domiciliar em Nova Iorque, creio que não se pode condenar ninguém antes do julgamento. Nenhum país do mundo tem o direito nem a autoridade de prender alguém sem provas. Crime maior, a meu ver, é fuzilar um acusado ou denunciado apenas com base em ilações, indícios, rumores ou denúncias sem comprovação.

 

Gilberto Amaral,
Coitado do saudoso Leonel Brizola. Seguramente engasgou, bebendo chimarrão, no céu, vendo abutres engravatados em volta do seu jazigo. Corja de brizolistas de araque. Oportunistas, cretinos e demagogos.  Homenagem do contra é isso.

 

Picaretagem do pseudo humorista
É o que dar. A Folha de São Paulo abre espaço para pseudos humoristas tentarem fazer graça.  Como são incompetentes e amadores, resolvem , então, tratar de outros temas.Que não têm nada a ver com humor.  Ficam ainda mais ridículos.  É o caso do idiota Marcius Melhem, que numa coluneta medonha do dia 25,  na Folha de São Paulo, caderno Ilustrada, mete  os pé pelas patas e critica a zona franca de Manaus. Esquisito e estranho. Soou como picaretagem explícita, da Folha e do pobre diabo Marcius Melhem. O bolorento texto foi para o lugar certo: a lata do lixo. Coisa feia, Folha. 

 

Recado de Collor
No senado, na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, na presença do comandante  do Exército, general Eduardo Villas Bôas, o senador e ex´presidente Collor, declarou; "Espero que não tenhamos que assistir de novo o emprego das Forças Armadas para coibir qualquer tipo de manifestação   nas ruas brasileiras". 

 

Apedeuta nervoso
Um imbecil  pirento insiste em ser meu personagem. Não passa de reles pobre diabo que rosna montes de merda pelos buracos do esqueleto vadio.  Cão  que ladra não morde. O verme e apedeuta que atende pela alcunha de José Ribeiro da Silva, merece uma estátua equestre: metade cavalo e a outra metade também. Chupa prego até virar parafuso, otário. 

 

Limongi é jornalista. Trabalhou no Senado Federal, TV-Brasília, Última Hora de Brasília, O Globo, Confederação Nacional da Agricultura , Suframa e Universidade de Brasília. É sócio da ABI há 48 anos. Tem blog e face. É servidor aposentado do Senado Federal. 

Publicidade
TWITTER
@colunach

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2017 - Todos os direitos reservados