Publicidade

Prestar homenagem ao grande matemático Elon Lages Lima, falecido no último dia 7, é recordar uma das figuras mais brilhante que Alagoas nos deu! O seu grande amor pela Matemática nasceu ainda aqui, quando estudou no Colégio Batista. O nosso saudoso Prof. Benedito de Moraes teve a graça de induzir a muitos de nós o gosto pela matéria terminando por enveredar para suas profissões, tendo a Matemática como seu objetivo principal ou como sua grande auxiliar.

Fui colega de Elon em todo ginasial e com ele tive vários embates, na maioria com notas inferiores. Era um aluno inquieto, afável e ao mesmo tempo brigão e desde cedo denotava uma inteligência invulgar. Seus olhos azuis serenos vinham da descendência de seu avô paterno, imigrante italiano Giusepe Ferrari, que acabaria por não se fixar no Brasil, deixando seu único filho sem familiares próximos. 

Manoel de Albuquerque Lima e Adelaide Lages Lima (irmã do Dep. José Lages) eram rígidos na educação dos quatro filhos Elina, Elonira, Elon e o caçula Manoel. Moravam numa casa de esquina à Praça da Faculdade, anexa à mercearia de propriedade do patriarca da família.

Concluído o ginásio em 1944, fui estudar no antigo Liceu e Elon partiu para Fortaleza a fim de seguir a carreira militar na Escola Preparatória de Cadetes. Lá obteve sempre o primeiro lugar e era visado pelo Comandante, face suas constantes insubordinações. Foi afastado da Escola por ter aplicado trote num calouro, pois a brincadeira era proibida. Como noticiar aos pais? Omitiu a informação aos de casa e, para se sustentar, foi dar aulas a alunos da capital cearense. Matriculou-se a fim de prestar exames para professor no Colégio Estadual do Ceará. Após brilhante concurso, ganhou a vaga disputada com o seu ex-comandante.

Daquele momento em diante foram sucessivas vitórias em sua vida dedicada à Matemática. Seu currículo é extremamente extenso: bacharel em Matemática pela UNB, MSc pela Universidade de Chicago onde recebeu o prêmio Edna Allen, PhD também pela mesma Universidade, cursos de Pós-Doutorado em Princeton, na Universidade de Columbia, todas nos Estados Unidos e na Universidade de Warwick , Inglaterra. 

Após seu périplo no exterior volta ao Brasil e funda com outros companheiros o Impa – Instituto de Matemática Pura e Aplicada, atualmente o mais importante centro de estudos de matemática da América Latina. Nele atuou como professor e diretor por muitos anos. Em entrevista à Folha de SP disse que na década de 1960 “os pesquisadores recebiam seus salários em envelopes, sem nenhum direito trabalhista. O dinheiro, além disso, era pouco, o que afastou os aventureiros. Só quem tinha compromisso com a matemática ficou”.

Seus colegas do Impa são unânimes em afirmar o valor do matemático de ponta que foi o alagoano Elon Lages Lima ao dar contribuição fundamental à literatura matemática brasileira, com mais de 40 livros, e recebeu duas vezes o Prêmio Jabuti de Ciências Exatas. 

Colaborou para estruturar os cursos de licenciatura, bacharelado e pós-graduação na Universidade Federal do Ceará, de onde recebeu, em 89, o título de Professor Honoris Causa. Ele também era doutor Honoris Causa da nossa Ufal.

Idealizou e dirigiu as coleções “Projeto Euclides” e “Coleção Matemática Universitária” e foi o criador, em 1990, do Papmem (Programa de Formação e Aperfeiçoamento de Professores do Ensino Médio), que continua ativo e já beneficiou mais de 20 mil professores do País. Talvez porque tenha sido justamente na Educação Básica o início de sua brilhante trajetória de matemático, como professor, aos 18 anos, no Ginásio Farias Brito e no Colégio Estadual do Ceará.

 

Vinícius Maia Nobre é engenheiro.

Publicidade
TWITTER
@colunach

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2017 - Todos os direitos reservados