Publicidade
ENVELHECER É TAMBÉM UM APRENDIZADO

É possível que muita gente não concorde comigo, sobretudo aqueles que se livram do peso da obrigação diária de cumprir horários e compromissos, os recém aposentados. Um amigo meu zombou na minha cara dizendo que não queria mais fazer nada e iria aproveitar a vida, passear de barco. Alguns anos depois, estava deprimido e numa solidão medonha. Outro, quando eu ainda estava na estiva do Bradesco, horário puxado, serviço de sobra, não existiam computadores, ele aposentou-se do Banco do Brasil e chegou no nosso expediente parrando, mangando de todo mundo: “Vocês ainda vão comer o pão que o diabo amassou”. E, realmente, ele tinha razão. No entanto, anos depois encontrei-o e imediatamente cobrei-lhe a felicidade da aposentadoria. O sujeito com a cara mais tristonha me disse: “Passo o dia todo em casa, sem fazer nada, arengando com a mulher”. 

Costumo dizer que velhice nunca foi nem será a melhor idade. Não tanto pelas moléstias que vão surgindo, como pela necessidade de se manter ativo. E estar ativo vai desde criar passarinho, ir ao supermercado quantas vezes a mulher mandar, até manter um trabalho regular. Enfim, nunca deixar de ter um objetivo, um compromisso consigo mesmo. 

Outra coisa que deixa o sujeito inda mais velho é rejeição à tecnologia. Não gostar de computador, ipad, tablet, smartfone, Facebook, Whatsapp, Messenger, Instagran e outras invenções, não são apenas para os jovens. Os mais velhos deveriam aproveitar muito mais a oportunidade de se estabelecer nesse novo mundo. Ignorar o futuro é morrer de burrice. 

Estar informado. Ler. Ler, principalmente os jornais diários. Ler pela internet, através do Google, assinar edições diárias digital dos jornais mais importantes do País. Quando não, ler pelo menos as manchetes, alguns jornais dão uma cota de até 10 leituras ao mês, quando não quiser pagar. 

Quem não tem uma atividade diária, um compromisso perde a noção do tempo e geralmente nem sabe o dia da semana em que está vivendo. 

Não procure ser valorizado apenas pelos de casa, a família, os filhos, netos, todos têm sua vida. Valorize-se. Sinta-se importante pelo que você faz, nem que seja por passear com seu cachorro de manhã na praia. 

Não reclame tanto. Ninguém gosta de gente que vive reclamando. Melhore o humor. Sorria! Dê umas boas risadas. Assista desenho animado junto com seus netos. Sorria com eles. Não feche a cara diante de uma piada adulta demais. Existe muito humor com safadeza e os vídeos de Porta dos Fundos são ótimos. Está provado, cientificamente, que rir faz bem à saúde. Mas, também não tenha vergonha de chorar quando for preciso. Os velhos choram por qualquer bobagem. Mas, chore na mesma proporção do riso. Envelhecer é também um aprendizado.

 

Benedito Ramos é escritor.

TWITTER
@colunach

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2017 - Todos os direitos reservados